Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

COLUNA VERTICAL



Domingo, 18.04.10

O MERCADO MUNICIPAL

CONFERÊNCIA DE IMPRENSA DA COMISSÃO POLÍTICA DE ABRANTES DO PSD  

 

Há mais de dez anos que o PSD vem alertando com carácter de urgência, uma intervenção da autarquia no Mercado Municipal de Abrantes. Quer no programa do PSD para 2005, quer no de 2009, enfatizávamos a necessidade da revitalização deste mesmo mercado. Tal pressupunha não apenas intervenção física, mas um repensar estratégico e posicionamento comercial, surgindo, assim, novos conceitos e novos atractivos, não unicamente comerciais, mas também culturais.

 

Sendo certo que, em Abrantes, o Mercado Municipal é hoje um dos poucos pólos de interesse com potencialidade, por um lado, para atrair gente ao Centro Histórico e, por outro, ajudar a impedir a desertificação das freguesias de características mais rurais, ao fornecer um local de comercialização dos seus produtos. A recuperação e revitalização do Mercado Municipal eram essenciais e urgentes. Tão evidente que a própria Autarquia reconheceu esse facto, colocando, em sucessivos planos e orçamentos, a requalificação do Mercado Municipal.

 

O arrastar da degradação e encerramento do Mercado Municipal não se devem à incúria e incompetência do anterior/actual executivo camarário, mas, sim, a uma intencionalidade de extinção deste espaço centenário, sendo “cinzentas” as intenções de tal decisão.

 

Até porque não deixa de ser, no mínimo, curioso que as oportunidades de negócios criadas pela Câmara no nosso Concelho tenham sempre os mesmos destinatários. Que grande coincidência!  

 

Senão vejamos:

 

      - Depois do fecho do mercado do peixe no piso inferior, que diligências foram feitas pelo anterior executivo camarário de criar condições condignas para os comerciantes?

  

      - Toda a envolvente da Fontinha, mercado semanal e feira, foi pensada com base na continuidade da localização do mercado municipal;

  

      - A senhora presidente, então vereadora, licenciada nesta área, não poderia deixar de ter uma especial sensibilidade para a falta de condições de higiene e de perigo para a saúde pública que representava o degradado mercado municipal. Por que razão não alertou e pressionou o senhor presidente em funções para a urgência de obras?

  

      - Como actual presidente do executivo, e tendo obrigatoriamente uma maior sensibilidade para estas questões, por que não iniciou estas obras com carácter de urgência, sendo certo que ainda, no início de Fevereiro, os vereadores do PSD voltaram a levantar esta questão na reunião da câmara?

 

      - Sabemos que as questões monetárias não se colocam e, na realidade, o mais barato era o Mercado Municipal:

  

                * As obras preconizadas pela ASAE para o funcionamento do Mercado rondariam os 350.000€; 

                * Os gastos na aquisição de lojas e obras, ultrapassam os 470.000€;  

                * Não temos conhecimento do valor gasto na aquisição dos equipamentos de conservação; 

                * A recuperação das oficinas da rodoviária estima-se em  1.000.000,00€ milhão de euros, sem contabilizar a elaboração do projecto.

 

      - O local escolhido está mal localizado com pouca visibilidade, com acessibilidades difíceis e com grandes restrições para cargas e descargas;

 

      - A CMA iniciou frente negocial com a CCDR-Centro, com vista a assegurar a comparticipação financeira que, segundo diz, poderá atingir os 80%, no projecto de recuperação das oficinas. Não poderia, então, tê-lo feito atempadamente em relação ao edifício centenário e estrategicamente localizado do Mercado Municipal?

 

      - Sabemos que, quando a senhora presidente quer, é determinada a atingir os seus objectivos, como foi em diligenciar, num curto espaço de um mês, alternativas para os comerciantes. Não deveria também ter colocado todo o seu empenho e sapiência, atempadamente, na melhoria das condições higio-sanitárias do Mercado Municipal, permitindo, assim, a sua continuidade a curto prazo e preparando uma intervenção de fundo no edifício, dignificando as condições de trabalho de todos os comerciantes e dignificando a nossa cidade?

 

Estão patentes a falta de planeamento e a definição de prioridades, que só vêm sublinhar a falta de competência deste executivo em lidar com os destinos do Concelho.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Perfil

3.jpg



Visitantes


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Quimeras


Alma, Eléctrico!


Livros

Capa - 3ª Edição.jpg

Capa - Frente.jpg

Capa Bocage.jpg 

Capa.jpg 

Eléctrico - Um Clube com Alma.jpg

Mistério Sant Quat (I).jpg


Livros-vídeo


eBooks




calendário

Abril 2010

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D