Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

COLUNA VERTICAL


Quarta-feira, 15.12.10

Em defesa da honra

«Nunca irrites um homem paciente» (Confúcio)

 

EXPOSIÇÃO AOS PRESIDENTES DA COMISSÃO POLÍTICA

NACIONAL, DISTRITAL E CONCELHIA DO PSD

 

Eu, Santana-Maia Leonardo, militante do PSD da secção de Abrantes com nº8513 e vereador da câmara municipal de Abrantes eleito pelo PSD, venho, em defesa da honra dos candidatos autárquicos do PSD no concelho de Abrantes, dizer o seguinte:

I

O PRINCÍPIO

 

Quando em Julho de 2008, recebo um telefonema de um indivíduo que se identificou como presidente da concelhia de Abrantes do PSD para tomar um café no Hotel Turismo de Abrantes, estava muito longe de imaginar o que me esperava.

Com efeito, estava afastado de toda e qualquer actividade partidária há mais de dez anos e não tinha intenção nem vontade de regressar até porque tinha ficado com muito má opinião do funcionamento interno do partido.

Foi, por isso, com surpresa e total estranheza que fui confrontado com o convite para ser candidato a presidente da câmara de Abrantes.

Relativamente a Gonçalo Oliveira, que não conhecia, devo, no entanto, dizer que foi de uma grande lealdade comigo no momento em que me fez o convite na medida em que me contou grande com rigor (como pude constatar posteriormente) a história da secção de Abrantes, identificando o seu principal problema e que tem a sua génese no mandato de Humberto Lopes como presidente da câmara de Abrantes (1989-1993), altura em que se geraram dois grupos que se digladiam e odeiam literalmente: um grupo afecto a Humberto Lopes e outro afecto ao Engenheiro Marçal.

E nem o facto do Dr. Humberto Lopes se ter afastado do PSD e do Engenheiro Marçal, por razões profissionais, se ter afastado de Abrantes impediu que os dois grupos mantivessem a sua actividade e hostilidade dentro da secção.

Segundo o Gonçalo, o partido estava, no entanto, a viver uma oportunidade única de superar esta rivalidade e de se renovar, uma vez que ninguém na secção estava interessado em disputar a presidência da câmara nas eleições autárquicas de 2009, estando, por isso, criadas as condições para uma candidatura tranquila que lançasse as bases para uma verdadeira alternativa aos socialistas.

Com efeito, sendo as eleições de 2009 as últimas a que Nelson de Carvalho se podia recandidatar, todos os interessados se estavam a guardar para as autárquicas de 2013, uma vez que era reconhecido por todos ser impossível vencer em 2009.

No entanto, como o ódio entre as duas facções estava tão entranhado, era indispensável que o candidato escolhido fosse exterior à história da concelhia, razão por que consideraram ser eu o candidato ideal naquelas circunstâncias: estava ligado a Abrantes familiar e profissionalmente; identificavam-se com os meus artigos de opinião no jornal Primeira Linha; e nunca me tinha envolvido em qualquer actividade da concelhia.

Não fosse o Gonçalo ter-me dito que todos os candidatos a candidato a presidente da câmara se estavam a guardar para as autárquicas de 2013, porque era totalmente impossível ganhar as autárquicas de 2009, e eu teria logo ali recusado o convite.

E o motivo, para quem me conhece, é muito fácil de entender.

Na vida há dois tipos de pessoas: as que nascem para comer os frutos e as que nascem para plantar as árvores.

Eu pertenço claramente ao segundo grupo que, em Portugal, verdade se diga, constitui um grupo muito pequeno.

Quando, em Setembro/Outubro de 2008, o meu nome foi apresentado para aprovação no plenário de militantes, tive a oportunidade de dizer aos militantes ali presentes, entre os quais o Dr. Armando Fernandes e o Eng. José Marçal, que não estava interessado em ser candidato e que se conhecessem alguém que quisesse ser candidato era o maior favor que me faziam.

E pedi a todos os militantes ali presentes para ponderarem bem, razão por que me iria ausentar da sala para que a minha presença não inibisse algum militante de levantar alguma dúvida sobre o meu nome.

Houve não só unanimidade na escolha como também o Dr. Armando Fernandes e o Eng. José Marçal (que eu vi pela primeira vez) fizeram questão de me expressar publicamente o seu apoio.

As autárquicas de 2009 pareciam, assim, condenadas a decorrer num clima de surpreendente acalmia até que dois acontecimentos fizeram emergir, de novo, todas as rivalidades: a não recandidatura de Nelson de Carvalho e o anúncio da candidatura independente de Albano Santos.

Ou seja, aqueles que se estavam a guardar para as autárquicas de 2013 começaram a olhar para as autárquicas de 2009 como a sua oportunidade perdida.

E, a partir daqui, a candidatura «Amar Abrantes» passou a ter uma vida conturbada e complicada, começando eu a aperceber-me de que tudo iria implodir no momento da apresentação das listas e por duas razões:

     (I)  o grupo do Eng. José Marçal de que o Dr. Armando Fernandes é o rosto visível não aceitava que o Gonçalo Oliveira integrasse a lista da câmara em lugar elegível, sendo certo que esse era, pela lógica das coisas, o seu lugar natural, tendo em conta o seu empenho e envolvimento ab initio na candidatura;

     (II)  por sua vez, o Dr. Armando Fernandes exigia ir num dos dois primeiros lugares da lista da Assembleia Municipal, sendo certo que não havia uma única pessoa que aceitasse integrar a lista liderada pelo Dr. Armando Fernandes.

Aliás, todas as pessoas com quem eu falei em Abrantes para integrar as listas ou para simplesmente colaborarem ou me ajudarem, apontaram o Dr. Armando Fernandes como persona non grata: umas não aceitaram colaborar, pelo simples facto de terem de lidar com o Dr. Armando Fernandes; outras não aceitavam integrar uma lista onde ele estivesse; outras acabaram por se afastar, porque não estavam para ser sistematicamente ofendidas por ele nas reuniões em que participavam; e mesmo as pessoas que lhe eram mais próximas me confidenciaram que, tendo em conta os anticorpos que tem em Abrantes, a sua entrada nas listas nas eleições anteriores se deveu apenas ao receio da sua reacção.

A antipatia que o Dr. Armando Fernandes gerava era tal que tive mesmo de inventar uma desculpa para não o convocar para as reuniões da comissão política da candidatura, sob pena de ficar sem nenhum dos quarenta elementos da comissão. 

Relativamente à lista da câmara, o Gonçalo, precisamente na noite 8 de Junho de 2009, ou seja, a quatro dias do jantar da apresentação das listas do PSD, aceitou não integrar a lista da câmara, para evitar que o Dr. Armando Fernandes e o grupo do Eng. José Marçal pusessem o partido a ferro e fogo como se preparavam para o fazer, se isso sucedesse.

Relativamente à lista da Assembleia Municipal, optámos por adiar a sua apresentação, bem sabendo que ou arranjávamos um candidato suficientemente forte capaz de serenar os ânimos ou o partido voltaria a entrar em ebulição, tornando extremamente dolorosa a campanha eleitoral.  

Ora, por muitas voltas que déssemos, o único nome com potencial para pacificar a secção, ainda que temporariamente, era o nome do Dr. Eduardo Catroga.

Por isso, empenhei-me, até ao último momento, em conseguir a sua aceitação para o cargo, recorrendo, inclusive, ao poder de influência da presidente do partido, do Dr. Torres Pereira e do Dr. Morais Sarmento.

Mas em vão.

A partir dali, não havia qualquer hipótese de o partido chegar às eleições unido e sem uma grande conturbação interna, uma vez que, por um lado, o Dr. Armando Fernandes só aceitava um dos dois primeiros lugares e, por outro, ninguém aceitava integrar a lista se ele fosse num dos dois primeiros lugares.

Para conseguir formar a lista da Assembleia e levar o núcleo principal da candidatura unido até às eleições, tive de comunicar ao Dr. Armando Fernandes de que não iria integrar a lista à Assembleia, uma vez que não lhe poderia oferecer nenhum dos dois primeiros lugares da lista.

A reacção do Dr. Armando Fernandes foi a seguinte:

Que eu não sabia com quem estava a falar e do seu peso no PSD concelhio, distrital e nacional, Que me ia destruir politicamente, Que iria arranjar uma coluna em todos os jornais e rádios de Abrantes para me destruir, Que eu nunca mais me atrevesse a andar no mesmo passeio que ele ou de o cumprimentar, etc. etc. (estas, como devem entender, foram apenas as expressões mais suaves).

E, verdade se diga, começou a cumprir, de imediato, o seu programa de destruição, tendo inclusive usado o seu discurso de despedida como chefe de bancada do PSD na última Assembleia Municipal de Abrantes para elogiar o bom relacionamento institucional com os socialistas e declarar que não votava no PSD nas próximas autárquicas porque eu tinha todos os defeitos e mais alguns.

A partir daqui não há jornal ou rádio do concelho de Abrantes em que não tenha uma coluna com que se entretém religiosa e semanalmente a fustigar, ridicularizar e achincalhar, conforme me foi prometido, os vereadores e demais eleitos do PSD, usando os meios e a informação que os socialistas carinhosamente colocam ao seu dispor para o fazer.

Conhecendo a génese do seu destilado ódio contra mim e demais eleitos do PSD, decidi seguir o prudente conselho de Bernard Shaw, como sempre faço em circunstâncias semelhantes: «Nunca lutes com um porco. Primeiro, porque ficas sempre sujo e, segundo, porque o porco gosta.»

 

II

A CILADA 

 

Acontece que, no passado dia 30 de Novembro, fui convidado, assim como todos os candidatos autárquicos do PSD, para participar numa sessão destinada ao lançamento do 1º Congresso Distrital do PSD, a realizar na sede do partido em Abrantes, sessão essa aberta não só a simpatizantes e militantes do PSD, mas a toda a sociedade civil abrantina.

Segundo nos foi comunicado, o objectivo da sessão seria o de fazer o diagnóstico informativo da situação em que se encontra o concelho da Abrantes para permitir identificar um conjunto de propostas e de ideias comuns que beneficiasse toda a comunidade municipal e inter-municipal dos 21 municípios de Santarém.

Acontece que a oportunidade foi aproveitada pelo Dr. Armando Fernandes para, através de uma intervenção escrita, voltar a abrir fogo sobre os vereadores, deputados municipais e de freguesia do PSD, assim como os demais candidatos do PSD das últimas autárquicas, ridicularizando-os e achincalhando-os, como tão bem sabe fazer, usando, designadamente, termos pejorativos, humilhantes e insultuosos, tendo terminado o seu elaborado discurso aconselhando a distrital nas próximas autárquicas a «escolher candidatos honestos».

E tudo isto perante a passividade da mesa que permitiu que os candidatos autárquicos a quem as estruturas do PSD andaram a pedir por favor para se candidatarem em circunstâncias extremamente difíceis (todos sabemos que é fácil arranjar candidatos para comer os frutos, não é fácil arranjar candidatos para plantar as árvores) fossem ali, perante pessoas estranhas ao partido, alvejados pelas costas por um sniper com o estatuto de convidado da distrital.

Se a distrital ou a concelhia estão arrependidas dos candidatos que escolheram, deviam tê-lo pensado antes de os convidarem, porque nenhum deles se veio oferecer.

Se a distrital ou a concelhia queriam voltar a discutir os resultados das eleições autárquicas, então deviam convocar um plenário de militantes para evitar expor os candidatos escolhidos até porque o PSD vai precisar da maioria deles se quiser concorrer nas próximas eleições.

Se a distrital ou a concelhia queriam discutir o trabalho desenvolvido pelos vereadores ou pelos deputados municipais ou de freguesia, deviam ter convocado a reunião com essa ordem de trabalhos e para esse fim.

Além disso, os presidentes da comissão política distrital e concelhia sabiam que os vereadores do PSD estavam a ser atacados por honrarem dois compromissos que constam não só do seu programa eleitoral como foram expressamente assumidos em conferência de imprensa, quando o Dr. Armando Fernandes ainda fazia parte da comissão política da candidatura:

     - relativamente à segurança, a denúncia pública como único meio de quebrar o círculo do medo que se instalou em Abrantes e obrigar as autoridades públicas e o governo a intervir (conferência no Centro Comercial Millenium em 27 de Abril de 2009);

     - relativamente à requalificação do centro histórico, defender uma solução que não passasse pela deslocalização da Câmara Municipal e do Mercado Municipal, nem pela construção do Museu Ibérico com a volumetria proposta, sem um estudo sério sobre a sua viabilidade económica, o que ainda não foi feito (conferência no Centro Histórico em 18 de Julho de 2009).

Para já não falar, na teoria política de vencer as eleições a qualquer preço, assumida ali pelo Dr. Armando Fernandes, sem qualquer pudor, numa sessão aberta ao público, pondo em causa os alicerces do partido fundado sobre o princípio de que acima dos interesses mais imediatos e mesquinhos do partido e dos eleitores está o supremo interesse de Portugal.

É fácil ganhar votos e eleições satisfazendo os interesses mais imediatos dos eleitores usando o dinheiro dos contribuintes como faz Carlos César nos Açores; é fácil ganhar votos no Continente criticando o que Carlos César faz nos Açores.

Difícil é erguer a voz, em nome do futuro e do superior interesse nacional, contra os Carlos César que proliferam por esse país fora, inclusive no nosso partido, e que continuam a comprar votos com o nosso dinheiro, hipotecando o futuro de todos nós, dos nossos filhos e dos nossos netos.

Ora, face ao silêncio cúmplice e reverencial da mesa, só podemos concluir que os candidatos autárquicos do PSD foram atraídos para uma verdadeira cilada.

Caso contrário, a mesa teria reagido de imediato, após a intervenção do Dr. Armando Fernandes, para expressar, publica e inequivocamente, a sua solidariedade institucional para com todos os eleitos e candidatos autárquicos do PSD, de forma a que ficasse claro para toda a gente que não se revia nem na forma, nem no conteúdo, da intervenção do Dr. Armando Fernandes.

Porque, como diz o povo, «quem cala consente».

Devo-lhes, no entanto, dizer que as feridas nas minhas costas saram depressa.

Não só não me abatem como são a principal fonte da minha energia.

 

III

E O FIM 

 

Hoje é com grande satisfação que vejo renascer nos corações mais empedernidos a sua enorme paixão pelo partido que, durante os últimos anos, andou tão arredia.

Até nestas paixões cíclicas somos demasiado parecidos com os socialistas, o que não indicia nada de bom, ou seja, de diferente.

Irei, no entanto, cumprir o meu mandato até ao fim, honrando o contrato eleitoral que celebrei com o partido e os eleitores do concelho de Abrantes.

Ao contrário do que muita gente pensa, o mandato não acaba no dia das eleições, começa no dia das eleições.

E era precisamente isto e apenas isto que o partido devia exigir sempre aos seus candidatos: que cumpram o mandato e honrem o contrato eleitoral celebrado com os eleitores.

E, depois, no final do mandato, a seu tempo e desapaixonadamente, se fará a avaliação do mesmo, no tempo próprio, elaborando-se, então, um novo contrato eleitoral e apresentando-se uma nova equipa.

Não pretendo, como já deixei claro, ser candidato ou ser nomeado para o que quer seja.

Só queria que as estruturas do partido tratassem com o respeito devido todos aqueles que, nos terrenos e nas circunstâncias mais difíceis, dão a cara pelos valores do partido, pagando do seu bolso grande parte dos custos da campanha eleitoral.

Difícil não é dar a cara onde se é poder ou onde a vitória está garantida.

Difícil é dar a cara onde se sabe que se vai perder e resistir onde tudo é contra nós: o poder, as sondagens, os jornais, as rádios, os apoios, as associações que vivem dos subsídios, os empresários que vivem das obras e até os filhos da mãe de alguns dos nossos militantes.

 

O expoente

Santana-Maia Leonardo 

 

P.S.: Informo que irei dar conhecimento desta exposição aos 482 candidatos autárquicos do concelho de Abrantes do PSD, para que saibam que há alguém no partido capaz de dar a cara por eles.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sábado, 29.08.09

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE S. MIGUEL

 

Raquel Alves é natural de S. Miguel de Rio Torto, onde reside, tem 40 anos de idade, o Curso Superior de Tecnologia e Artes Gráficas pelo Instituto Politécnico de Tomar, e é sócia gerente da empresa Prova de Cor, desde a sua fundação em 1997.
  
Raquel Alves trabalhou na Junta, nos serviços administrativos, e fez parte, desde a sua fundação e durante quase dez anos, do Rancho Folclórico da Casa do Povo de S. Miguel. Fez também parte do Aresta Motor Clube, cujo objectivo principal era a divulgação e promoção da freguesia de S. Miguel do Rio Torto, através de actividades motorizadas, tendo também colaborado com a Associação Rio Torto, em diversos eventos e actividades.
 
Representou ainda a Associação de Pais do Jardim de Infância que, juntamente com o executivo PSD da junta de Freguesia de então, conseguiu celebrar um protocolo com a Câmara Municipal de Abrantes, para fazer obras e fornecer almoços às crianças que frequentavam (e frequentam) a escola EB1 e o JI de S. Miguel do Rio Torto.
 
EFECTIVOS:
Raquel Maria do Sobral Alves, Técnica de Design Gráfico, 40 anos
Silvestre Henrique de Matos Gomes, Aposentado, 59 anos
Manuel Pedro Cardoso Pereira de Oliveira, Economista, 25 anos
Vera Sofia Pedro Catarino, 26 anos
João António Vilela Catarino, Aposentado, 56 anos
Nélson Manuel Vaz Lourenço Ferreira, Gestor Financeiro, 39 anos
Ana Maria Pires Duarte, Estudante, 20 anos
Élio Fernando Gaspar de Matos, Torneiro Mecânico, 29 anos
Fernando Marques Cardoso Rabeca, Desenhador, 71 anos
 
SUPLENTES:
Ana Raquel do Nascimento Ferreira Duarte Lopes, 25 anos
Nuno Miguel Maia Farinha, Empresário, 39 anos
Fernando Manuel Graça de Matos Lopes, Funcionário Púbico, 57 anos
Maria Clementina de Matos Maurício Gaspar, Empregada Doméstica, 40 anos
Hélio Henrique Matias da Luz, Empresário, 28 anos
Vitorino do Rosário da Silva, Empresário, 73 anos
Isabel Maria Mendes Batista Neves, Empresária, 43 anos
Duarte Miguel Velez Morgado, Técnico de Centrais Hidroeléctricas, 26 anos
Manuel Maria Madeiras Orvalho, Empresário, 52 anos
Dora Cristina Dias Serrano Raimundo, Empregada de Balcão, 28 anos
Rui Jorge de Almeida Catarino, Mecânico, 30 anos
Pedro Miguel Conceição Henriques, Comerciante, 36 anos
Anabela Areias Martinho, Técnica Superior de Emprego, 36 anos
Manuel Ferreira Fernandes, Caixeiro, 41 anos
António Fernando Massa Tavares, Motorista, 55 anos
Alzira Cardoso Matos Lérias Matias, Cozinheira, 54 anos
José de Oliveira Rabeca, Aposentado, 52 anos
Fernando Manuel Gaio Ferreira, Bancário – Aposentado, 61 anos
Marisa Isabel Claro Lourenço, Técnica de Análises Clínicas, 27 anos
Alberto Miguel Pernadas Marchante Francisco, Estudante, 29 anos
José Maria Lopes Neves, Motorista, 45 anos
Paula Cristina Arega Mendes Ferreira, Comerciante, 40 anos
Duarte André Delgado Lopes, Engenheiro Civil, 31 anos
Ricardo João Rosa de Oliveira, Empregado de Balcão, 29 anos
Maria José Vilela Pereira Catarino, Comerciante, 56 anos
Rogério Fernando Alves da Silva, Pintor, 42 anos
Fernando José Pires Alfaiate, Empresário, 56 anos
Vera Lúcia das Neves, Caixa, 26 anos
Pedro Gonçalo Nascimento Oliveira, professor, 30 anos
João Maria Dias Apura, Sapateiro, 48 anos
Deolinda Florinda Fernandes Gaio Pires, Educadora de Infância 57 anos
Rui Alexandre Mira de Oliveira, Técnico Administrativo, 22 anos
André Guilherme Belém Carrilho Lopes Bicho, Estudante, 23 anos
Isabel Maria do Sobral Alves, Arquitecta paisagística, 38 anos
Luís Filipe Areias Coelho, Técnico Superior de Comunicação, 24 anos
Marco Paulo da Silva Pires, Vendedor, 28 anos
Regina Bárbara de Almeida Catroga, Enfermeira, 31 anos
Carlos Filipe Carrilho Ansiães, Estudante, 19 anos
José António Rosalino de Sousa, Comerciante, 37 anos
Maria Graziela de Oliveira Nascimento Ferreira, Assistente Administrativa, 63 anos
Mário Rui Apura Gomes, Operador de dados, 36 anos

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sábado, 29.08.09

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE BEMPOSTA

 
José Lourenço tem 55 anos e é natural da freguesia de Bemposta.
É empresário do ramo automóvel, tendo exercido sempre a sua actividade nesta freguesia (em Bemposta e Chaminé).
Entre 1993 e 2005, foi membro da Assembleia de Freguesia de Bemposta e, actualmente, é membro do conselho de disciplina da Associação de caçadores e pescadores da Freguesia de Bemposta.
 
 
Efectivos:
José de Matos Lourenço, Industrial, 56 anos
Simão Silva Matos, Eng. Técnico, 39 anos
Alice Maria Lopes Rosa, 42 anos
António Manuel da Silva Nunes, 49 anos
Manuel António Lopes, 39 anos
Susana Margarida Pimenta Santos, 23 anos
Fernando Miguel Nunes Pires, 39 anos
Luís Manuel Albino Moura, 37 anos
Sónia Patrícia Nisa Silvestre, 26 anos
 
Suplentes:
Joaquim da Silva Calado, Cabo chefe da GNR, 58 anos
José Marques, 65 anos
Clara Isabel Casaca Jerónimo, 31 anos
Emídio Manuel Martinho Direito, Orçamentista, 32 anos
António Manuel Luís Maria, 48 anos
Maria Fernandes Rodrigues Neves, 52 anos
José Manuel Mendes de Oliveira, Veterinário, 27 anos
Fernando Manuel Batista Pires, 53 anos
Marta Filipa Pires Teles, Psicóloga, 29 anos
Fernando Miguel Cardoso Catarino, 37 anos
Rui Carlos Duarte dos Santos, Empresário, 32 anos
Maria Florinda Godinho Duarte Nogueira, 48 anos
Vítor Manuel Daniel Pires, 34 anos
Carlos Manuel Guimarães Bispo, Eng. Civil, 29 anos
Maria José Lopes de Oliveira Santos, 50 anos
João Manuel Lopes, 44 anos
Manuel Luís Nogueira, 46 anos
Ana Rita Pratas Lizardo, Estudante, 21 anos
Mário Lopes de Oliveira Costa, 38 anos
Mário Manuel Filipe Ferreira, 38 anos
Teresa Maria Daniel Pires, 32 anos
Gonçalo Manuel Salvador de Matos, 24 anos
Carlos Manuel Nobre Esteves, 32 anos
Sónia Cristina Alves Leitão, Op. Fabril, 27 anos
Isidoro Miguel Balasteiro Cardoso, 37 anos
Carlos Alexandre Marques Madeira, 34 anos
Susana Isabel Oliveira Casimiro, 32 anos
António Luís Nogueira, 51 anos
Marco Miguel Marques da Silva
Ana Isabel Espadinha Lourenço, 25 anos
Augusto de Matos Fernandes, 62 anos
Tiago Filipe Correia Fernandes, 19 anos
Helena Isabel Oliveira Santos, Técnica Superior, 24 anos
Manuel Luís Balbino Alves, 31 anos
Nelson Miguel Gertrudes Rodrigues, 29 anos
Maria Fernanda Duarte Bandarra Pires, Doméstica, 52 anos
Ricardo Miguel Martins Bispo, 30 anos
Henrique Manuel Fernandes Bispo, Motosserrista, 42 anos

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sábado, 29.08.09

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE TRAMAGAL

 

Joaquim Simplício tem 50 anos, é solicitador (curso que concluiu em 1980), presidente da delegação do Círculo de Abrantes da Câmara dos Solicitadores e funcionário da Silvicaima, como técnico jurídico, desde 1988.
 
Foi director do Tramagal Sport União, presidente da Assembleia de Freguesia de S. João, vice-presidente e tesoureiro do núcleo de Abrantes da Cruz Vermelha, vogal do Conselho de Disciplina da Associação de Futebol de Santarém, sendo actualmente tesoureiro do Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Santarém. 
 
EFECTIVOS:
Joaquim Manuel Gomes Leitão Simplício, Solicitador, 50 anos
Francisco da Conceição Ferreira Fernandes, Pintor, 53 anos
Telma Patrícia Raimundo de Matos, Bancária, 28 anos
João Manuel Cordeiro Mendes, Soldador, 40 anos
António de Sousa Ferreira, Encarregado Geral, 43 anos
Ana Catarina Marques Aparício, Encarregada de refeitório, 24 anos
Lucília Maria Martins Baião, Professora, 57 anos
Renato José Lopes Brazão, Empresário, 30 anos
Sandra Isabel Carrapeto Guarda Brás, Engenheira Industrial, 31 anos
 
SUPLENTES:
Jorge de Jesus Brunheta, Serralheiro, 48 anos
José Maria Luís, Aposentado, 77 anos
Magda Sofia Ferreira Brás, Operária Fabril, 25 anos
João Rodrigues Brás, Aposentado, 75 anos
Ricardo António Ferreira Padre Santos, Aposentado, 54 anos
Fidélia Costa Godinho Cordeiro Corregedor, Assistente Técnica, 53 anos
Vítor Manuel Silva Caroço, Aposentado, 72 anos
João Manuel de Oliveira, Aposentado, 61 anos

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sábado, 29.08.09

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE RIO DE MOINHOS

 

João Paulo Rosado tem 38 anos e é, desde 2001, o tesoureiro da Junta de Freguesia de Rio de Moinhos, tendo realizado todos os Orçamentos e Prestação de Contas desta freguesia que, saliente-se, foram sempre aprovados por unanimidade pelas diferentes Assembleias de Freguesia. 
 
Natural desta freguesia, onde reside, é licenciado em Gestão de Empresas, sendo actualmente o responsável pela Divisão de Contabilidade de uma empresa multinacional da região.
 
É, desde 2007, o presidente da Associação de Pais e Encarregados de Educação do Oeste (Abrançalha de Baixo, Amoreira, Martinchel, Pucariça e Rio de Moinhos) e membro do Conselho Geral Transitório do Agrupamento Dr. Manuel Fernandes de Abrantes. 
 
Jogou futebol no Sporting Clube de Abrantes (onde foi campeão distrital de juvenis), Dragões de Alferrarede, na Casa do Povo de Rio de Moinhos e na Associação de Moradores de Amoreira. Por sua vez, na Faculdade, foi membro da direcção da Associação de Estudantes, sendo responsável pela área desportiva.
 
EFECTIVOS:
João Paulo Leitão Rosado, Técnico Oficial de Contas, 38 anos
Raquel Sofia da Costa Marques, Educadora, 23 anos
João Filipes Domingos, Técnico Máquinas, 38 anos
Nuno Miguel Ferreira Lopes, Operador Fabril, 32 anos
Susana Maria Damas Antunes, Assistente Técnica, 34 anos
Manuel Rosa Dias, Escriturário Superior, 47 anos
Vera Mónica Ramos Ferreira, Operadora de Caixa, 29 anos
Licínio Maria Caldeira dos Santos, Desenhador, 43 anos
Filipa Isabel Brites Ferreira, Estudante, 25 anos
 
SUPLENTES:
Manuel José Martins Pires, Técnico Auxiliar de Pecuária, 53 anos
Catarina Isabel Pires Gaspar, Bancária, 25 anos
António Manuel Lopes Garrinhas, Operário Fabril, 48 anos
Isabel Maria Batista Ferreira Lopes, Empregada Fabril, 42 anos
Maria José Rosa Canana Mendes, Técnica Análises Clínicas, 50 anos
Maria do Rosário Soares Serra, Engenheira Agrícola, 43 anos

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sábado, 29.08.09

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DO SOUTO

 

Diogo João Ferreira Valentim é o actual presidente da Junta de Freguesia do Souto.
 
Natural e residente no Souto, tem 23 anos e é finalista da licenciatura em Administração Pública.
 
 
 
 
EFECTIVOS:
Diogo João Ferreira Valentim, Técnico Superior de Administração Pública, 23 anos
Carlos Manuel Francisco Natálio, Engenheiro Electrotécnico, 34 anos
Hélder João Santos Quintas, Empregado de Escritório, 35 anos
Maria Fernanda Pires Frade, Administrativa, 48 anos
Carla Fernanda Pires Pedro, Farmacêutica, 26 anos
José Maria Gomes, Aposentado, 67 anos
Fábio Filipe Martins Guia, Engenheiro Civil, 24 anos
 
SUPLENTES:
Maria Helena Batista Soares Dias Nunes, Administrativa, 51 anos
Benvinda Rosa Ferreira Valentim Francisco, Funcionária Pública, 56 anos
Carlos Manuel Pires Pedro, Motorista de Pesados, 48 anos
Francisco Batista Branco dos Santos, Pedreiro, 32 anos
Nuno André dos Santos Martins, Coordenador de Segurança, 26 anos
Maria Teresa Pedro André de Almeida, Auxiliar de Acção Educativa, 36 anos
Luís Manuel Orvalho, Serralheiro, 40 anos
António Francisco Pimenta, Aposentado, 79 anos
Jacinto Filipe Martins, Motorista, 47 anos
Cidalina Maria Batista Pimenta Machado, Doméstica, 39 anos
Jorge Manuel Soares dos Santos, Pintor, 28 anos
Jorge Manuel Rosa Pires, Serralheiro, 28 anos
Carlos Fernando Patrício, Operador de Máquinas, 41 anos
Nélio Pires Pimenta, Vigilante, 39 anos
Antónia Ascensão Pedro Nunes, Doméstica, 54 anos
João António Agudo da Silva Amaro, Empregada de Balcão, 27 anos
Samuel José Jesus dos Santos, Pedreiro, 35 anos
Márcio Miguel André Soares, Servente, 23 anos

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sexta-feira, 28.08.09

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE S. VICENTE

 

Luís Ablú Dias tem 37 anos e é natural de S. Vicente, onde reside. Formado em Engenharia e Gestão Industrial, é Responsável de Serviço Produção de Energia numa empresa da região. É actualmente membro da Assembleia de Freguesia de S. Vicente, tendo sido eleito, como independente, nas listas do PSD.
 
Pertenceu, durante vários anos, aos órgãos sociais do Sporting Clube de Abrantes, tendo sido presidente da direcção, clube onde também foi praticante federado de xadrez. Foi ainda campeão distrital de futebol, em iniciados, pelo Sport Abrantes e Benfica.
 
EFECTIVOS:
Luís Nuno Ablú Dias, Engenheiro Produção Industrial, 37 anos
Nuno Miguel Martins Pedro, Empresário, 37 anos
Guiomar Maria Penteado Rodrigues dos Santos, Empresária, 39 anos
Nuno Miguel Pedro Gil, Professor, 34 anos
António Manuel Batista Alves Rosa, Chefe de Vendas, 46 anos
Anabela Honório Matias, Psicóloga Educacional, 43 anos
Sérgio Miguel Frade Robalo, Empresário, 34 anos
João Manuel Gomes, Director de Hotel, 47 anos
Susana Baptista Martins, Técnica Superior, 37 anos
Cláudio Renato Chaves Machado, Estudante, 21 anos
Paulo José Patrício Coimbra, Electricista, 37 anos
Maria de Fátima Rosa Inácio Pedro, Encarregada Geral, 58 anos
Rui Manuel Duarte Batista dos Santos, Oficial de Justiça, 37 anos
 
SUPLENTES:
Vítor José Martins, Empresário, 47 anos
Maria Manuela Pires Pedro Lourenço, 40 anos
José Dias António, Aposentado, 63 anos
Jorge Manuel Ferrão Lopes, Empresário, 46 anos
Maria Luísa de Jesus Silvestre de Oliveira Grácio, Aposentada, 47 anos
Luís Manuela Alves de Sousa Coelho, Chefe de Turno, 41 anos
José Carlos Moreira Dias Felício, Empregado Fabril, 44 anos
Ana Maria Barreiros da Costa Roldão Maia Pita, Professora – Aposentada, 64 anos
Paulo Jorge Lopes Miguel, Chefe de Secção, 40 anos
Luís Filipe Ferreira de Sousa, 49 anos
Ana Maria Rui Filipe Rico, Professora, 48 anos
Ricardo Luís Pires Alves, 33 anos
Rui Fernando Alves Dias, Formador, 31 anos
Sandra Isabel Barreiros Roldão Maia Pita, Enfermeira, 30 anos
Vitorino António Maleitas da Silva, Canalizador, 28 anos
Ana Paula de Paiva Rodrigues Morgado, Professora, 45 anos
José Florindo Carlos, Aposentado, 57 anos
Hugo Miguel Pedro Lopes, Electricista, 27 anos
Marisa Fortes Lourenço, Professora, 29 anos
Flávio Miguel Dias Madeira, Operador de produção térmica, 25 anos
Joaquim António Rodrigues Gonçalves, Operador Fabril, 51 anos
Maria José Rosa Martins, Assistente Operacional, 37 anos
Joaquim Manuel da Silva Alves, Pedreiro, 43 anos
Sérgio Filipe Rosa Gonçalves, Operador fabril, 25 anos
Patrícia Isabel Marques Coelho, Estudante, 21 anos
Fábio Daniel Farinha Aperta, estudante, 21 anos
Nuno Gonçalo Menezes Leitão dos Santos, Estudante, 19 anos
Ana Carina Costa Nogueira, Estudante, 21 anos
Octávio Marques Almeida, Técnico de Manutenção de Aeronaves, 32 anos 
Carlos Alberto Dias de Matos, Empresário, 53 anos
Elsa Maria da Costa Cardoso, Professora, 42 anos
António Manuel Belém e Ferreira Coelho, Professor, 51 anos

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sexta-feira, 28.08.09

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE VALE DAS MÓS

 

Joaquim tem 76 anos, é agricultor e reside em Vale das Mós há mais de quarenta anos.
 
É vice-presidente do conselho fiscal da Associação de Caça e Pesca do Vale das Mós, associação de que foi fundador, e também secretário da Direcção do Centro Social e Paroquial de Vale das Mós.
 
Foi, durante 8 anos, Tesoureiro do clube de Futebol, Grupo Cultural e Recreativo de Vale das Mós.
 
 
EFECTIVOS:
Joaquim da Silva Bairrão, Agricultor, 76 anos
Ricardo Jorge Nobre Dias, Assistente Operacional, 21 anos
Licínio da Silva Lourenço, Encarregado Ferroviário, 51 anos
Francisco Manuel Esteves Rosa, Empresário, 43 anos
Mateus Pereira Ricardo, Aposentado, 59 anos
Manuel João Narciso Anacleto, Calceteiro, 43 anos
João António Matos Costa, Carpinteiro, 48 anos
 
SUPLENTES:
João Manuel Felício de Matos, 45 anos
Carlos Manuel Alves Madeira, Encarregado de Estruturas Metálicas, 49 anos
Alberto José Lopes Dias, Agricultor, 23 anos
Nuno Maria Maurício Esteves, Pedreiro, 33 anos
Henrique Miguel Lança Maurício Esteves, Pedreiro, 20 anos
Manuel Agostinho Oliveira Espadinha, Empresário, 54 anos
Paulo José Maurício Esteves, Pedreiro, 42 anos
José Luís Paredes
Jesuina Damásio Ricardo Costa, Doméstica, 47 anos

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sexta-feira, 28.08.09

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DO PEGO

 

João Seixas Carlos tem 65 anos e é, desde 2005, membro eleito da Assembleia de Freguesia do Pego, terra onde reside há mais de 36 anos.
 
Começou a sua actividade profissional aos 11 anos de idade no Armazém de Mercearias Joaquim F. Nazaré, em Alferrarede. Depois de ter cumprido o serviço militar, com uma passagem de dois anos por S. Tomé e Príncipe, voltou ao trabalho no Armazém de Tecidos de Américo Pereira Henriques, também em Alferrarede.
 
Foi funcionário fundador da loja de móveis Sopadel, em Abrantes e, nos últimos 22 anos de actividade profissional até à aposentação, foi Encarregado de Armazém na empresa Tupperware, em Montalvo.
    
EFECTIVOS:
João Seixas Carlos, Reformado, 65 anos
Paulo Jorge Pissareira Godinho, Advogado 35 anos
Carmen Luísa Chambel Serrano, Administrativa 34 anos
Joaquim Fernando Sousa de Oliveira, Eng. Técnico Civil, 48 anos
Paulo Alexandre Parreira Marcos, Técnico Oficial de Contas, 36 anos
Amélia da Conceição R. Lucas da Cruz, Empresária, 45 anos
Arsénio Correia Esteves, Empresário, 42 anos
Sérgio Manuel Gil Horta, Técnico de Desinfestação, 33 anos
Elisabete da Conceição Marques Lopes, Empresaria, 31 anos
 
SUPLENTES:
Fernando Manuel Rodrigues Ferreira, Motorista 32 anos
Augusto Inácio Fontinha Serreno, Serralheiro 40 anos
Mafalda Sofia Ruivo Alfaiate, Empregada de Balcão – Florista, 36 anos
Marco Aurélio Batista de Sousa, Carteiro 30 anos
Arnaldo Manuel Martinho Couceiro, Auxiliar de Serviços, 33 anos

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sexta-feira, 28.08.09

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DO ROSSIO

 
Faustino Boto tem 52 anos e é natural do Rossio, onde sempre tem vivido.
 
É empresário, sendo proprietário de uma empresa de táxis e do Botos’s Bar.
 
 
 
 
 
 
EFECTIVOS:
Faustino Manuel Moura Josefa, Empresário, 52 anos
Henrique Manuel Rosa Prôa Remígio, Fiscal de Obras, 30 anos
Carla Isabel Alexandre Lopes, Assistente de Consultório, 28 anos
António Maria Rosa Proa, Médico, 54 anos
Arlindo Garcia Guilherme, Carteiro, 50 anos
Cristina Margarida Duarte Almirante, Técnica de Turismo, 33 anos
Francisco Manuel das Neves Quina, Comerciante, 49 anos
Fernando José Gaspar Veríssimo, Empresário, 59 anos
Ana Isabel Lopes da Costa, Estudante, 23 anos
 
SUPLENTES:
Manuel Carlos Pires Hortas, Técnico de Vendas, 39 anos
Luís Manuel da Luz Paulino, Empresário, 45 anos
Maria da Conceição Ferreira Estácio, Voluntariado, 52 anos
Flávio Miguel Marcelino de Oliveira, 26 anos
Hugo Miguel Marques Correia, Especialista de Controlo, 28 anos
Joana Filipa da Silva Lizardo, Estudante, 22 anos
Nuno Miguel Leitão Rainho Valente Lopes, Engenheiro Electrotécnico, 32 anos
Pedro da Veiga Moura Josefa, Empresário, 62 anos

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sexta-feira, 28.08.09

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE S. JOÃO

 

Manuel Nogueira é natural de Bemposta e reside na freguesia de S. João (Abrantes), há mais de 40 anos. Tem 68 anos de idade e foi Chefe de Armazém dos Serviços Municipalizados da Câmara Municipal de Abrantes até 2003, altura em que se reformou.
 
Fundadores do PSD de Abrantes, Manuel Nogueira foi presidente da Assembleia de Freguesia de S. João, durante dois mandatos consecutivos (1979/82 e 1982/85), tendo sido o cabeça de lista do PSD nestas duas eleições, e deputado municipal. Foi, ainda, árbitro da Associação de Hóquei em Patins de Santarém e tesoureiro das associações desportivas abrantinas: Sporting de Abrantes, Benfica de Abrantes e União Desportiva Rossiense.
 
EFECTIVOS:
Manuel da Conceição Nogueira, Funcionário Público – Aposentado, 68 anos
Joel Pedro Rodrigues Vilelas da Silva, Técnico de Informática, 32 anos
Ana Isabel Marcos António Godinho, Gerente Comercial, 38 anos
Pedro Miguel Marcos António, Gerente Comercial, 29 anos
Fernando Manuel Ribeiro Teimão, Administrador Financeiro, 38 anos
Maria Laura Lopes Chambel Lourenço, Doméstica, 52 anos
Manuel Rodrigues Lopes Aparício, Assistente Operacional, 46 anos
José António Jesus Ferreira, Escriturário, 57 anos
Telma Maria André Soares, Assistente Operacional, 25 anos
 
SUPLENTES:
Eduardo Manuel Vieira Seco, Gerente Comercial, 49 anos
João Paulo Marques dos Santos, 35 anos
Ana Rita de Figueiredo Bartolomeu Carvalho, Professora, 36 anos
Carlos Manuel Marques Toco Bento, Professor, 46 anos
Fernando Manuel de Castro Guedes, Pedreiro, 59 anos
Ana Maria Geraldo Caeiro Laia, Funcionária Pública, 50 anos
José Manuel Soares Beirão, Operário Fabril, 27 anos
Paulo Jorge Tristão Rapazote, Comerciante, 50 anos
Maria Manuela Martinho Pires Seco, Doméstica, 53 anos
Maria José Tristão Rapazote, Recepcionista, 47 anos

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quinta-feira, 27.08.09

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DO CARVALHAL

 

Rafael Gil Chambel tem 49 anos, é tipógrafo e reside no Carvalhal há mais de 25 anos.

 
É professor de música na sede da freguesia e tem duas bandas de música: “Arte Nova” e “PRL”.
 
É também treinador da equipa de futebol “Os Lobos” de Carvalhal.
 
 
EFECTIVOS:
Rafael Gil Chambel, Tipografo, 49 anos
Vanda Catarina Alves dos Santos Salgueiro, Professora, 24 anos
Jorge Lourenço Carpinteiro, Ferroviário, 41 anos
José da Conceição Alves, Aposentado, 66 anos
Mara Lisa Carpinteiro Estriga, Escriturária, 28 anos
Amadeu José Passarinho Correia, 38 anos
Mário Rodrigues Bouça, Operário Fabril, 52 anos
 
SUPLENTES:
Maria Emília Domingos Fontinha, Empregada de Balcão, 45 anos
Manuel Rosa Pinto, Empreiteiro da Construção Civil, 58 anos
Júlio Lourenço Jorge, Pedreiro, 40 anos
Maria Gertrudes Liberta Salgueiro, Costureira, 56 anos
Óscar Jesus Teixeira
Francisco Miguel Rosário Pimenta, 37 anos
Cátia Soraia Vicente Passarinho Pires, 26 anos
Ana Lúcia Passarinho Dias, 27 anos
Silvério Dias Frade, 59 anos

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quarta-feira, 26.08.09

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE FONTES

 

Tânia dos Santos Alves tem 27 anos e é natural de Fontes, onde reside.

 
Licenciada em Turismo e Termalismo pelo Instituto Politécnico de Portalegre, fez o estágio profissional no Posto de Turismo de Abrantes.
 
Em 2005, entrou como recepcionista na Estalagem Vale Manso, tendo assumido o cargo de Front Office, nos últimos dois anos.
 
EFECTIVOS:
Tânia Jacinta dos Santos Alves, Téc. Superior de Turismo e Termalismo, 28 anos
José Alagoa Gaspar, Cabo Chefe da GNR, 50 anos
Magda Andreia Louro Pedro, Caixeira, 27 anos
Manuel Vicente Morgado Alves, Servente florestal, 47 anos
António Rosa Lopes André, Pintor da Construção Civil, 47 anos
Isabel Alves Pedro, Desempregada, 36 anos
Abel Passarinho Lopes, Pintor, 40 anos
 
SUPLENTES:
Liliana de Jesus Pedro, Téc. Administrativa, 27 anos
Joaquim Manuel Gaspar Lopes, Pintor, 40 anos
Marina Alagôa João, Geógrafa, 22 anos
Marco Paulo Alves Pedro, Pedreiro, 28 anos
Hugo Antunes da Silva, Desempregado, 37 anos
Amílcar António Alagoa João, Empresário, 31 anos
Francisco dos Santos Fernandes, Mecânico, 53 anos
Paula Cristina Brunheta Alagoa, Auxiliar de Acção Médica, 25 anos
André Alexandre Pedro Gaspar, Canalizador, 21 anos
Daniel Francisco dos Santos Fernandes, Mecânico, 22 anos
Matilde Lopes Filipe, Empregada de Lavandaria, 34 anos
Jorge Manuel Louro dos Santos, Encarregado da Construção Civil, 30 anos
Francelina de Jesus André, Auxiliar de Acção Educativa, 49 anos
Jorge do Carmo Pedro dos Santos, Comerciante, 58 anos
Maria Irene Pires Gaspar, Recepcionista Hoteleira, 50 anos
Sérgio Alexandre Aparício Teodoro, Condutor, 25 anos

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quarta-feira, 26.08.09

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE MOURISCAS

 

Manuel Catarino tem 58 anos e foi, até se reformar em 2002, inspector da Polícia Judiciária, onde desenvolveu a sua actividade como investigador em áreas diversas, tendo passado, os últimos anos, na investigação do tráfico de estupefacientes. Esteve também presente, desde o início, na criação da Associação Sindical da Polícia Judiciária.
 
Em 1996, comprou em Mouriscas uma casa antiga que tem vindo a recuperar e onde fixou a sua residência. Fez parte da Direcção da ACATIM, conseguindo ganhar uma candidatura para o financiamento de um lar de 30 camas, com a oposição dos votos da vereadora e do núcleo executivo da CLAS.
 
 
 
EFECTIVOS:
Manuel Celestino Ferreira Catarino, Aposentado, 58 anos
Maria Manuela Maia Alves, Professora, 53 anos
Amadeu Bento Lopes, Eng. Civil, 37 anos
Anabela Marques Crispim, Professora, 35 anos
Isidro Fernandes Pires, Empresário, 48 anos
Maria Helena de Jesus Matos Pita, Vigilante de Acção Social, 55 anos
Carlos José Rosa Grilo, Tecnico Cortador de Carnes, 44 anos
Susana Isabel Lourenço Filipe, Socióloga, 25 anos
Luís Miguel Baptista de Assunção da Silva, Reis Professor, 46 anos
 
SUPLENTES:
Preciosa Maria Matos Baptista Branco, Doméstica, 48 anos
José Joaquim Chambel Gonçalves, Assistente Técnico, 57 anos
Sofia Isabel Matos Pita, Estudante, 27 anos
Luís Miguel Tavares Duarte, Motorista, 39 anos
Augusta Manuela Matos Batista Lopes, Taxista, 56 anos
Joaquim Antunes Marques Pita, Vendedor Ambulante, 44 anos
Patrícia Isabel da Conceição Grilo, Professora do 1º CEB, 23 anos
Paulo José Antunes Leitão, Técnico de Telecomunicações, 36 anos
Salustiniano Baptista Sério, Reformado, 70 anos
Abel Acácio Pinto Correia, pré-reformado, 64 anos
Elisa Maria Rodrigues Mendes de Matos, Auxiliar de Acção Educativa, 45 anos
Orlando Manuel Tomás Serras Alpalhão, Peixeiro, 33 anos

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quarta-feira, 26.08.09

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE S. FACUNDO

 

Arménio Bispo é natural e residente na freguesia de S. Facundo. Tem 53 anos e é empresário do ramo de comércio de madeiras e cortiças e consultor de projectos, tendo exercido sempre a sua actividade nesta freguesia.
 
É, desde 2005, membro eleito da Assembleia de Freguesia de S. Facundo, tendo sido o candidato do PSD nas últimas eleições autárquicas.
 
 
EFECTIVOS:
Arménio Gonçalves Bispo, Empresário, 53
Maria Luís Rafael Madeira, Farmacêutica, 40
Rui José Dias, Eng. Técnico Agrário, 70
Paula Monteiro Pereira, Enfermeira, 35
António João Caroço Costa, Operário Químico, 50
Ana Filipa Nunes de Matos, Estudante, 21
Ana Rita Rodrigues Pires, Estudante, 18
 
SUPLENTES:
Augusto Correia Duarte, Eng. Técnico Agrário, 58
Patrique Monteiro Pereira, Guarda-florestal, 39
Daniela Cristina Cabeças Bispo, Escriturária, 22
Mário João Vicente Marchante, 47
Rui Filipe Duarte Dias, Eng. Técnico Florestal, 37
Patrícia Sofia Silveira Teixeira, Psicóloga, 24
António Luis Catarino Alexandre, Empresário Florestal, 44
Filipe Miguel Bispo Pratas, Estudante, 28
Ana Sofia Chambel Dias, Estudante, 22

Autoria e outros dados (tags, etc)


Perfil

3.jpg



Visitantes


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Quimeras


Alma, Eléctrico!


Livros

Capa - 3ª Edição.jpg

Capa - Frente.jpg

Capa Bocage.jpg 

Capa.jpg 

Eléctrico - Um Clube com Alma.jpg

Mistério Sant Quat (I).jpg


Livros-vídeo


eBooks




calendário

Novembro 2017

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D