Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

29 Mar, 2010

O MUSEU E O IC 9

Santana-Maia Leonardo - in Nova Aliança 

.

Sou um dos cronistas que, ao longo dos últimos quinze anos, tenho denunciando a política criminosa dos governos de Guterres e Sócrates, assente em endividamento público para sustentar um aparelho administrativo e produtivo totalmente ineficiente e inviável economicamente, assim como para financiar obras públicas faraónicas e de utilidade duvidosa que, em regra, só acarretam mais encargos.

 

A minha candidatura à Câmara Municipal de Abrantes pretendeu também ajudar a consciencializar os munícipes de Abrantes para este problema e dar um modesto contributo para resolvê-lo. As minhas reservas relativamente ao museu, por exemplo, não têm nada a ver com o valor do espólio, nem com o projecto de arquitectura, nem com a localização, se bem que considere que a população de Abrantes deve ter uma palavra a dizer sobre isso. As minhas reservas estão a montante desta discussão e assentam, apenas, na sustentabilidade económica de uma obra que vai consumir recursos que não temos para gerar ainda mais encargos (é, aliás, a própria presidente da câmara quem reconhece, já à partida, que o museu vai dar prejuízo) num momento de grande aperto financeiro com iminentes cortes nos salários, nas reformas e nas prestações sociais e um aumento brutal do desemprego.

 

E foi precisamente por se ter andado, durante os últimos quinze anos, a esbanjar dinheiro em projectos megalómanos que fazem as delícias dos autarcas, governantes e grandes construtoras, mas que arruínam o país, que agora se vai sacrificar o IC 9, este, sim, um investimento prioritário e essencial para o desenvolvimento económico do concelho de Abrantes e concelhos limítrofes. 

 

Apesar de não ter a informação privilegiada dos socialistas, as pessoas do Tramagal devem recordar-se do que lhes disse na campanha eleitoral: que não contassem com o IC 9 para breve, ainda que a actual presidente da câmara e o ministro Jorge Lacão fizessem da sua construção iminente uma das suas bandeiras eleitorais. Por razões óbvias que só um cego não via ou um mentiroso não admitia.