Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

DESEMPREGO - PARTIDARIZAÇÃO DO QUADRO TÉCNICO DO MUNICÍPIO

Intervenção da bancada do PSD 

 

Os dados mais recentes, divulgados pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional, no que diz respeito ao concelho de Abrantes, são deveras preocupantes. Em relação ao total de desempregados, registado no final do mês de Março, verifica-se um aumento de 37 desempregados relativamente ao período homólogo do ano transacto.

 

TOTAIS

Concelho

Mar-08

Mar-09

Mar-10

Variação anual

 

ABRANTES

1750

2245

2282

37

 

TORRES NOVAS

968

1197

1286

89

 

TOMAR

1160

1496

1870

374

 

 

Mais 37 que há um ano. Parece pouco senhora presidente. Mas não é.

 

Imagine agora que deste 37, 20 são chefes de família, com filhos em idade educativa e esposas igualmente desempregadas ou simplesmente domésticas. Imagina a senhora presidente as dificuldades porque passam as famílias atingidas por este flagelo. Não imagina… eu sei. Mas de todos os dados que constam nos números do IEFP, fico especialmente sensibilizado com a quantidade de jovens com escolaridade ao nível do Ensino Superior.

 

DESEMPREGADOS COM O ENSINO SUPERIOR

Concelho

Mar-08

Mar-09

Mar-10

Variação

ABRANTES

164

191

188

-3

TORRES NOVAS

113

149

152

3

TOMAR

136

194

199

5

 

Isto é o resultado da má política de investimentos levada a cabo pela Câmara Municipal, muitos deles sem nenhum tipo de retorno financeiro e com grande sobrecarga de despesa e de encargos para os contribuintes, contribuindo, dessa forma e decisivamente, para agravamento das condições de vida dos munícipes, dos pequenos comerciantes e das pequenas e médias empresas.

 

Abrantes não tem apostado na valorização dos jovens, criando mecanismos de fixação de quadros qualificados que, verdadeiramente, lhes permitam estudar, trabalhar e constituir família no nosso concelho. É um concelho completamente desestruturado. É um concelho sem rumo. Não existe uma estratégia de fixação. Existe sim um folclore de propaganda imenso. Uma feira de vaidades.

 

Senhora presidente, recordo-lhe estamos em 2010, ano de crise. O país acordou do imenso hipnotismo de que foi alvo por parte do Governo do Partido Socialista, no que diz respeito às contas públicas. O país encontra-se numa situação muito delicada, cujas consequências ainda não são de todo conhecidas, e que podem ser as mais graves do ponto de vista social. Esperamos que não.

 

A Câmara Municipal não pode defraudar as legítimas expectativas de milhares de abrantinos, com promessas de emprego fácil, que raramente se acabam por se concretizar, às vezes por razões alheias ao executivo.Manda a prudência que nos tempos difíceis que se vivem, o executivo adopte uma postura mais humilde e comedida. Em bom português, “que não coloque a carroça à frente dos bois”.

 

É neste cenário de dificuldades imensas, de crise, que o executivo que senhora preside se dá ao desplante de partidarizar o quadro técnico do município das formas mais descaradas. Uma vergonha, que em nada enobrece os titulares de cargos políticos em geral, e os eleitos do PS em particular.

 

O PSD manifesta a sua repulsa por esta forma de lidar com os assuntos. É com medida desta que as populações se afastam cada vez mais da política e olham com desconfiança total para os políticos. É a descredibilização total da política.

 

Termino manifestando um desejo sincero. Que a senhora presidente passe a ser mais humilde, e adopte uma forma de relacionamento com toda a posição mais séria. Claro está, do ponto de vista intelectual e político.