Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

05 Mar, 2009

OPORTUNIDADE

por António Belém Coelho

 
Terá sido hoje inaugurado um monumento ou obra de arte situada em pleno Aquapólis. Conforme já tive ocasião de referir publicamente em sede de Assembleia Municipal, não me pronuncio sobre a excelência da arte, seja ela qual for e de que forma se apresentar. Aliás, reconheço que o autor desta obra é um artista de renome nacional e internacional, com muitas das suas obras espalhadas por cá e pelas sete partidas do mundo. A minha contestação vai para a oportunidade escolhida para a realização deste evento.
 
Todos se queixam que os recursos são escassos, e os responsáveis autárquicos disso têm feito eco. Basta ver os preâmbulos habituais dos orçamentos da Câmara Municipal. Se isso é verdade em tempos ditos normais, com a crise actual, cujo fim ainda não se avista no horizonte, essa escassez deverá tornar mais criteriosa, selectiva e responsável a sua aplicação.
 
A construção da referida obra de arte, importa em cerca de 246.000€, acrescidos do IVA em vigor. Já nem referimos o contrato de prestação de serviços efectuado com o autor, que faria certamente subir este valor mais algumas dezenas de milhares de euros.
 
Não existiriam, neste momento, outras prioridades a que afectar estes recursos? Certamente que sim e creio mesmo que a dificuldade estaria na escolha, não em elencá-las. Enfim, parece que queremos mesmo ser uma cidade imaginária, parecendo rica pelo exterior, mas cada vez mais pobre naquilo que realmente interessa: no emprego, na criação de riqueza, na solidariedade entre as pessoas e também na solidariedade das diferentes e diversas freguesias que compõem o concelho.
 
Só mais uma palavra, apenas, para expressar a minha opinião pessoal sobre a colocação daquela obra (ou de qualquer outra com volumetria e envergadura semelhantes) naquela zona: não será um elemento extremo de ruptura numa paisagem caracterizada pela planura e suavidade de linhas?