Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

Santana Maia - in Nova Aliança

 
Os partidos políticos são, hoje, responsabilizados pela maioria dos portugueses pelo descrédito da política. E, para muitos, a solução estaria na criação de um novo partido ou nas listas de independentes. Nada mais errado. Porque o problema não são os partidos (peça chave e fundamental das democracias liberais), mas as pessoas que constituem os partidos. E lá voltamos ao tema da minha crónica «A TRAVE MESTRA».
 
Não adianta, por isso, fazer um novo partido porque ele iria ser constituído pelo mesmo género de pessoas que fazem parte dos já existentes e da sociedade portuguesa. Aliás, a experiência do PRD do general Ramalho Eanes já nos deveria ter vacinado para este tipo de experiências.
 
Da mesma forma, as listas de independentes, como está à vista de todos, são quase sempre formadas por pessoas rejeitadas pelo seu próprio partido e pelas piores razões. Basta pensar nas listas de independentes encabeçadas por Valentim Loureiro, Fátima Felgueiras, Isaltino de Morais…
 
Ao contrário do que nos querem impingir, a verdadeira independência não tem nada a ver com filiação partidária, mas apenas com o estatuto moral e ético de cada um. A independência não é, pois, um fato que se veste e despe consoante as conveniências. Muitos independentes só fazem lembrar aqueles nossos amigos que deixaram de fumar. Mas deixaste de fumar há quanto tempo? Desde ontem.
 
Para já não falar daqueles indivíduos que pensam que ser independente é estar disponível para se candidatar pelo partido que melhor oferta lhe fizer. Ora, isto não tem nada a ver com independência. Pelo contrário, é a forma mais abjecta de prostituição.