Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

 

 

Provando que verdadeiramente a Biblioteca é um espaço de cultura abrangente, Anabela Diogo, directora da Biblioteca Escolar de Constância, organizou como forma de comemorar o 3º aniversário da Biblioteca Escolar do Agrupamento de Escolas de Constância, uma noite da fados e de poesia ribatejana.

 

Graciosamente, contou-se com a presença de um dos melhores músicos da guitarra portuguesa, Custódio Castelo, que brindou com a sua arte  cerca de uma centena de convidados que se fizeram presentes. Também esteve presente, João Chora, conhecido músico e fadista ribatejano e Dora  Maria, fadista abrantina que juntamente com Custódio Castelo ofereceram um verdadeiro momento de fado e de cultura portuguesa!

 

E como a Biblioteca vive dos livros e respira poesia, ainda aconteceu Poesia, brilhantemente declamada por Raul Caldeira e Ana Maria Dias (presidente da Casa Memória Camões). Foi uma noite inesquecível e uma prenda digna para uma Biblioteca!

Nós, os ocidentais, somos amigos estranhos. Damos prioridade ao nosso conforto moral. Convinha-nos que Israel levantasse o bloqueio a Gaza e aceitasse passivamente os bombardeamentos do Hamas, limitando-se a filmar os mortos e a preencher o devido impresso de reclamação na ONU. Seria assim mais fácil de redigir artigos pró-israelistas.

 

O embaixador de Israel em Lisboa fez há dias, na televisão, a pergunta fatal: tem o Ocidente meios para garantir que o fim do bloqueio não deixaria o Irão reforçar o Hamas? E concluiu: Israel prefere receber mensagens de protesto do que mensagens de condolências.

 

O Médio Oriente não é terra para ingénuos. Se, amanhã, a vantagem militar passasse para o Hamas, não haveria Israel no dia seguinte. Eis o problema: Israel é incómodo porque nos lembra que o mundo não é como gostaríamos que fosse, e que a nossa força e o nosso direito não chegam para o mudar.  

Rui Ramos – in Expresso de 05/06/2010