Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

COLUNA VERTICAL



Domingo, 12.08.12

QUE SE LIXEM OS CICLOS

Pedro Lomba - Público de 31/7/12

.

(...) Podemos entender o período que vai de 1991 a 2011 como um grande e único ciclo político. PSD e PS governaram esses 20 anos, com predomínio dos socialistas. Mas não governaram de modo diferente. O PSD convenceu primeiro os eleitores de que era melhor a erguer o grande Estado no qual depositámos todas as nossas esperanças. O PS convenceu-os a seguir de que era melhor a conservá-lo, aproveitando as brechas para o fazer crescer ainda mais. Durante estas duas décadas os métodos dos governos não foram diferentes: espalharam nomenclaturas partidárias, inflacionaram expectativas, aquartelaram os interesses. Foi um jogo voluntarista em que ninguém perdeu. Os banqueiros e a fauna das obras públicas tiveram o que queriam. Mas também os funcionários públicos ou os beneficiários do rendimento mínimo. O regime parecia não ter descontentes.

..
A entrada no euro e a imensa disponibilidade e alternativa do endividamento serviram para sustentar este modo de vida artificial. Isto teve consequências. Desde o fim dos anos 90 que, salvo anos excepcionais, fomos de défice em défice e sofremos sistemáticos aumentos de impostos para os pagar. Pagámos a continuada subida da despesa pública com medíocre desempenho económico. Camuflámos os números do desemprego com situações de semiocupação. Vivemos todo este tempo a pensar na política como gestão porque nunca fomos obrigados a verdadeiras escolhas. O resultado não foi uma democracia de cidadãos conscientes e esclarecidos sobre o país onde viviam, mas um regime de súbditos e clientes que, além de não se aperceberem de que os seus votos eram uma moeda de troca para os governos, também nunca tiveram de pensar em alternativas ao seu modo de vida. 

.

A entrada em cena da troika representou o fim do ciclo 1991-2011 e o início de outro. Queiramos ou não, este é o governo que tem menos espaço de manobra para gerir criativamente o ciclo político, com o recurso à habitual distribuição de pechinchas e favores. Agora, o regime passou a produzir real insatisfação e não há mais para gerir a não ser expectativas frustradas. Agora, os nossos políticos têm de largar a gestão dos ciclos e a arbitragem de grupos, para passarem a fazer política a partir do confronto entre diferentes visões do mundo. (...)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Domingo, 12.08.12

E SE FOR IMPOSSÍVEL DE CUMPRIR?

José Pacheco Pereira - Público de 7/7/12

.

(...) Quem escreve isto, sempre defendeu e defende, notem defende, o cumprimento do memorando da troika, como condição básica para qualquer negociação futura. Estou por isso com o Governo na necessidade de cumprir aquilo que é o cerne do memorando, as metas do défice, sem nenhum "mas". Se tiver mais tempo, não deve ser porque o peça, mas porque lho dão; se tiver um novo valor do défice, é porque lhe permitem, não porque seja um facto consumado, a que a troika se curva, com mais ou menos boa vontade. (...)

.
Cada vez mais suspeito de que a receita da troika é pelo menos muito pouco realista, a começar pelo seu objectivo fundamental que é garantir o controlo do défice. Mas, se somar o memorando da troika com o chamado tratado orçamental, então não tenho dúvida nenhuma em dizer que é impossível de cumprir, cá e em quase todos os países europeus. Aliás, é só esperar algum tempo para se ver que não sobrará ninguém para garantir que ele seja cumprido.

.
Aqui não faço perguntas, afirmo pura e simplesmente, que o açaime sobre os orçamentos dos programas de resgate mais o tratado significam para Portugal um longa e medíocre arrastamento pela depauperação, sem qualquer capacidade de controlar quer o défice, quer a dívida nos valores previstos. Não é preciso ser sequer um medíocre economista para o dizer, porque o que estamos a ver no último ano mostra à evidência que vai ser assim. É uma questão apenas de puro bom senso. (...)

Autoria e outros dados (tags, etc)


Perfil

SML 1b.jpg



Visitantes


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Quimeras


Alma, Eléctrico!


Livros

Capa - 3ª Edição.jpg

Capa - Frente.jpg

Capa Bocage.jpg 

Capa.jpg 

Eléctrico - Um Clube com Alma.jpg

Mistério Sant Quat (I).jpg


Livros-vídeo


eBooks




calendário

Agosto 2012

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D