Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

COLUNA VERTICAL



Segunda-feira, 19.11.12

REUNIÃO DA CÂMARA DE 19/11/12 (II)

ABRANTES  - A CIDADE IMAGINÁRIA

Pedido de esclarecimento dos vereadores eleitos pelo PSD

. 

Está na hora de recordar a intervenção que aqui fizemos há um ano, mais precisamente no dia 14 de Novembro de 2011:

. 

«Os vereadores eleitos pelo PSD querem, antes de mais, penitenciar-se pelo facto de terem manifestado o seu desacordo pela despesa suportada pelo município relativamente ao conjunto escultórico designado “Cidade Imaginária”, da autoria de Charters d’Almeida”, inaugurado em 1 de Março de 2009.

.

Com efeito, depois de o executivo socialista, durante os últimos trinta anos, ter conseguido transformar o núcleo principal da cidade de Abrantes numa cidade fantasma, os vereadores eleitos pelo PSD não conseguiram antever, na inauguração do conjunto escultórico designado “Cidade Imaginária", o início de um novo ciclo na gestão socialista. Ou seja, a passagem de "Abrantes - Cidade Fantasma" para "Abrantes - Cidade Imaginária".

.

Abrantes é já hoje um produto demasiado caro concebido pela fértil imaginação socialista. Caro para os munícipes, bem entendido, que têm suportado, a peso de ouro, com os seus impostos, toda uma máquina de propaganda que vive, literalmente, de criar e encenar fantasias de Natal.

.

E não há qualquer dúvida que o conjunto escultórico de Charters de Almeida constitui um verdadeiro labelo acusatório da Cidade Imaginária concebida pelos socialistas. Quem olha para o conjunto escultórico não pode deixar de ver ali reproduzido, com grande fidelidade, o Ofélia, a Torre do MIAA, os Paços do Concelho da Esta até à Rodoviária, o Megacentro Cultural no Mercado Diário, etc.

.

Até a sua localização tem um valor simbólico, na medida em que nos recorda perpetuamente essa ponte imaginária que ligava, através do IC9, as duas margens do Tejo.

.

E a cor vermelha com que agride a paisagem é uma metáfora explícita que denuncia o autor das fantasias (o socialismo) e os pés de barro vermelho dos seus projectos.

.

E por falar em barro vermelho, não podemos deixar de trazer à colação o imaginário Hotel de Abrantes que, nos termos da respectiva escritura, se a obra não fosse executada até 15/2/2010, o terreno reverteria para a câmara.

.

Pelo exposto, gostaríamos de saber se o Hotel também já faz parte da Cidade Imaginária ou se já existe data para o arranque efectivo das obras?»

.

Quanto a esta questão, colocada na altura e que tanto indignou a senhora presidente, já todos sabemos a resposta.

.

E estamos certos que, nas próximas autárquicas, os socialistas não deixarão de tirar partido desta sua obra verdadeiramente notável de terem conseguido erigir, em apenas três anos, a Cidade Imaginária melhor equipada do mundo: com um Museu Ibérico dotado de uma torre descomunal; com um Paços do Concelho construído junto ao Museu e a estender-se até ao edifício da Rodoviária; com um Centro Cultural construído no antigo edifício do Mercado Municipal, mantendo-se este, renovado e ampliado, no primeiro piso; com uma nova ponte sobre o Tejo a ligar ao Tramagal; com uma das maiores empresas mundiais de fabrico de painéis fotovoltaicos, que emprega 1349 trabalhadores (só falta um para os 1350 e estamos certos que, com um pouco mais de imaginação, vamos conseguir lá chegar) e que tem um volume de vendas anual superior a 5 mil milhões de euros (mais euro, menos euro); com o Hotel de Abrantes, luxuoso e imponente, construído no Barro Vermelho; com o Centro Histórico, renovado, dinamizado e servido por um enorme parque de estacionamento subterrâneo; com a cidade universitária em Alferarrede; com o complexo médico-social Ofélia Club, equipado com um funicular, num investimento de 60 milhões de euros; etc. etc.

.

Até em sonhos é difícil imaginar uma cidade melhor.

.

Só falta agora descer à terra e responder à pergunta que colocámos na reunião de 17 de Janeiro de 2011:

.

Uma vez que, segundo a escritura do Hotel de Abrantes, o terreno reverte para o município, caso a obra não fosse executada até 15/2/2010, «gostaríamos de saber quando tenciona a câmara accionar a cláusula de reversão?»

.

Ver secção (VI) do DOSSIÊ II:Hotel de Abrantes

Autoria e outros dados (tags, etc)

Segunda-feira, 19.11.12

REUNIÃO DA CÂMARA DE 19/11/12 (I)

IMI PARA 2013 - TAXA MÍNIMA

Proposta dos vereadores eleitos pelo PSD

.

Na reunião da câmara de 10 de Setembro de 2012, este executivo, demonstrando uma total insensibilidade com a asfixia económica desesperante imposta às famílias portuguesas, decidiu aprovar para o município de Abrantes, com o voto contra dos vereadores eleitos pelo PSD, uma das maiores taxas do IMI praticadas nos municípios portugueses.

.

Só por si esta situação já era revoltante, tanto mais que, gabando-se a senhora presidente da boa saúde financeira do município, não se compreendia por que motivo não se tinha um gesto de solidariedade com os munícipes numa dos momentos mais dramáticos da nossa história.

.

Foi este, aliás, um dos fundamentos da nossa proposta, rejeitada pelos restantes vereadores, e que aqui recordamos: «(…) Ao manter as taxas do IMI próximas dos valores máximos permitidos, continua-se a não ter em linha de conta a conjuntura em que vivemos, mantendo a evolução deste tipo de receita à custa de grande parte das famílias e empresas. Também aqui um sinal de solidariedade da autarquia para com os seus munícipes seria importante e essencial.(…)»

.

Acontece que, à data da deliberação da taxa do IMI para 2013, estava-se ainda longe de conhecer e avaliar toda a extensão das medidas fiscais incluídas no Orçamento Geral do Estado para 2013 e o seu impacto nas famílias portuguesas.

.

Ora, num momento em que o Estado faz um verdadeiro saque aos trabalhadores e contribuintes portugueses, deixando as famílias portugueses, altamente endividadas, sem condições de satisfazer os seus encargos, é inadmissível que as autarquias não só não participem neste esforço como sejam as únicas entidades a ver aumentadas as suas receitas no ano de 2013.

.

Para mais, quando as autarquias, com a sua política de fazer obra para encher o olho e caçar votos, deram um contributo decisivo para o descalabro das finanças públicas e para nosso endividamento.

.

E se foi unânime o clamor contra a TSU, na medida em que revestia uma transferência directa do rendimento dos trabalhadores para a entidade patronal, que dizer desta transferência directa das famílias para as câmaras municipais, ou seja, para uma das principais entidades responsáveis pela situação de miséria em que as famílias actualmente se encontram?

.

Consequentemente, porque consideramos imoral que a câmara de Abrantes veja aumentar as suas receitas, no ano 2013, à custa das famílias portuguesas, completamente exauridas e esmifradas, os vereadores eleitos pelo PSD, à semelhança do que têm feito os executivos camarários por todo o país e de todas as cores políticas, vêm apresentar a seguinte proposta:

.

A Câmara Municipal de Abrantes, dentro do espírito de solidariedade que deve ter para com os seus munícipes, deverá baixar as taxas do IMI para 2013 para o valor mínimo.

.

Ver Secção V do DOSSIÊ IV: Taxas e Impostos

Ver DOSSIÊ: As Nossas Propostas

Autoria e outros dados (tags, etc)


Perfil

SML 1b.jpg



Visitantes


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Quimeras


Alma, Eléctrico!


Livros

Capa - 3ª Edição.jpg

Capa - Frente.jpg

Capa Bocage.jpg 

Capa.jpg 

Eléctrico - Um Clube com Alma.jpg

Mistério Sant Quat (I).jpg


Livros-vídeo


eBooks




calendário

Novembro 2012

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D