Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

A COMISSÃO SOCIAL DE FREGUESIA DE ALFERRAREDE E O BANCO SOCIAL

Intervenção da deputada municipal do PSD Manuela Ruivo

 

Na última Assembleia Municipal, o senhor presidente da Junta de Alferrarede e a senhora presidente da câmara insurgiram-se com alguma agressividade contra o deputado do PSD Gonçalo Oliveira pela sua intervenção sobre a ilegalidade e inutilidade do Banco Social, invocando o excelente trabalho realizado pela Comissão Social de Freguesia de Alferrarede, em articulação com o Banco Social, trabalho esse que poderia ser facilmente comprovado.

 

No seguimento desta intervenção e com vista a aferir-se da veracidade do alegado pelo senhor presidente da Junta e pela senhora presidente da câmara, os vereadores do PSD solicitaram cópia dos documentos, exposição e/ou relatórios sobre a intervenção da referida comissão no encaminhamento das situações não resolvidas para outra entidade, designadamente, o Banco Social.

 

A resposta dada pelo Núcleo Executivo da Rede Social não podia ter sido mais elucidativa da falta de fundamento das declarações aqui prestadas.

 

Não existe nada, rigorosamente nada.

 

Mas também não nos espanta porque todos sabemos que os socialistas avaliam sempre as comissões pelo número de reuniões que fazem e nunca pelo número de casos que resolvem.

 

Aliás, isto que aqui estou a dizer comprova-se facilmente.

 

Os vereadores do PSD, na reunião de câmara de 24 de Maio, denunciaram o facto de o Banco Social ter retirado o apoio a um doente de Alferrarede a quem foi diagnosticado a doença de Guausher e um aneurisma cerebral que o impossibilitam de trabalhar e que necessita de se deslocar, em média, seis vezes por mês a Lisboa para tratamentos de quimioterapia e terapias enzimáticas, sendo o único rendimento do seu agregado familiar a pensão de sobrevivência da sua mãe, com quem vive, no montante de 178 euros.

 

Isto foi denunciado, pela primeira vez, pelos vereadores do PSD na reunião da Câmara de 24 de Maio, pela segunda vez, pelos vereadores do PSD na reunião da Câmara de 7 de Junho e, pela terceira vez, pelo deputado Gonçalo Oliveira, aqui mesmo nesta sala, na última Assembleia Municipal.

 

Tratando-se de uma situação tão escandalosamente grave e urgente e com uma Comissão Social de Freguesia e um Banco Social a funcionarem tão bem, nas palavras do senhor presidente da junta e da senhora presidente da câmara, perguntamos: esta situação já está resolvida?

 

Por aqui se vê a eficiência e a eficácia do excelente e relevante trabalho desenvolvido pela Comissão Social de Freguesia de Alferrarede, em articulação com o Banco Social.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.