Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

FONTE DE VALE DE ROUBAM

Proposta dos vereadores eleitos pelo PSD 

 

Proposta de Deliberação dos Vereadores do PSD, Santana-Maia Leonardo e António Belém Coelho, referente à Fonte de Vale de Roubam, que se anexa à presente acta, propondo que a Câmara mande analisar, de imediato, a água da Fonte do Vale de Roubam, mandando substituir, após o resultado das análises, a placa aí existente com a inscrição "Água de Qualidade Não Garantida" por outra com a inscrição "Água de Qualidade Garantida" ou "Água Imprópria Para Consumo", consoante o resultado das análises for favorável ou desfavorável.

 

A Presidente da Câmara leu o seguinte esclarecimento por parte dos Serviços Municipalizados de Abrantes:

 

“A fonte de S. João (ou dos Pastores) na Av. de Aljubarrota, em Abrantes, não integra a rede pública de abastecimento de água como tal não está sujeita ao programa de controlo da qualidade da água (PCQA). Nos termos do nº 6 do artigo 16º do Decreto-Lei nº 306/2007, de 27 de Agosto, as entidades gestoras devem colocar placas informativas de água não controlada ou de água imprópria para consumo humano, conforme o caso, nos fontanários que não tenham sido integrados no PCQA. Esta determinação legal foi executada em todo o concelho de Abrantes, embora as placas de alguns fontanários sejam objeto de vandalização sistemática.

 

A exceção foi para a Fonte de S. João tendo em conta a sua grande utilização. Neste fontanário, é feito o controlo analítico com realização de análises do tipo de CR1, CR2 e CI, ou seja, as previstas no PCQA, exceto a medição do desinfetante residual (cloro). Este parâmetro é condição para assegurar a "água de qualidade garantida‟. No entanto, a incorporação de desinfetante retiraria a caraterística de "água natural‟ à água deste fontanário, precisamente o elemento que a torna atrativa.

 

Este ponto de água é ainda objeto de alguma manutenção. Aquando de situações de identificação de coliformes ou outras contaminações de natureza microbiológica são efetuadas intervenções que passam pela limpeza e desinfeção das caixas a montante da fonte, para além de ações de limpeza sazonal.

 

Assim, uma placa informativa indicando "água não controlada‟ não seria exata, porquanto é controlada. A placa "água imprópria para consumo humano‟ também não seria correta visto as análises indicarem o contrário e, quando tal não acontece, tem havido intervenções para reporem a qualidade necessária para consumo humano.

 

Todas estas situações são do conhecimento e articuladas com a Autoridade de Saúde, incluindo a informação que consta da placa atualmente afixada.

 

Se forem detetados elementos que contrariem os valores legalmente admissíveis, em articulação com a Autoridade de Saúde ou por determinação desta, será afixada placa com a informação prevista no citado diploma legal.”

 

Face ao exposto pelos SMA, a Presidente da Câmara referiu que a proposta do PSD não poderá ser aceite, uma vez que a “água de qualidade garantida” implicaria a utilização de cloro.

 

Tendo em conta os esclarecimentos prestados pela senhora presidente, designadamente a realização de análises periódicas à qualidade da água e que a tabuleta "Água de Qualidade Não Garantida" é a adequada quando a água está em condições de ser utilizada, os vereadores eleitos pelo PSD decidiram retirar a presente proposta de deliberação.

 

VER Secção II do Dossiê IX (Um Concelho Solidário): Zona Centro