Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

COLUNA VERTICAL


Segunda-feira, 06.05.19

El Barça es Messi. Messi es el Barça

1GI6TrOt6rbaZnv0935ke7.jpg

Camp Nou, 20.45 horas del miércoles 1 de mayo. 

El estadio estaba casi lleno. Los jugadores acababan de realizar el tradicional calentamiento que suele durar veinte minutos.

Antes de retirarse al vestuario, como sucede en los partidos grandes, los futbolistas se reunieron para hacer una piña. Brazos entrelazados por encima del hombro y cabeza baja formando un círculo como si fuera un cónclave secreto.

Messi en plan de gran capitán tomo la palabra. Mirando a los ojos de sus compañeros habló con una fe inquebrantable.

Si a principio de temporada lanzó un mensaje inolvidable a la afición (FOTO), “prometemos que haremos lo posible para que esta copa tan linda y tan deseada vuelva a estar a cá”, su mensaje a los compañeros a pie de campo fue igual de contundente y motivador.

Somos grandes y tenemos que demostrarlo. Hoy vamos a luchar a muerte para llegar a la final. Todos a una, esfuerzo, sacrificio y fuerza. Si jugamos como sabemos vamos a ganar. Força Barça!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Terça-feira, 30.04.19

Estamos preparados para dar cor ao futebol europeu

Este vai ser o tifo do jogo das meias-finais da Champions em Camp Nou, o templo sagrado do futebol, onde eu gostaria de estar amanhã e infelizmente não posso. 

Como reconhece Klopp, qualquer equipa do mundo, seja ela qual for, que jogue com o Barça goza sempre de uma enorme vantagem: nunca é favorito. 

E porquê? É certo que nem sempre ganha o melhor, mas o favorito é sempre a equipa que todos reconhecem como A MELHOR. 

E para quem gosta de futebol SÓ O MELHOR É O BASTANTE!

VISCA EL BARÇA!

Barça Europa.jpg

Autoria e outros dados (tags, etc)

Domingo, 28.04.19

Toca y pasa el balón

Santana-Maia Leonardo

81pHx54ulJL._SL1500_.jpg

Este DVD é fundamental para conhecer o modelo de jogo ofensivo que Cruiff, com a sua personalidade e concepção de futebol,  implantou no Barça, mudando a mentalidade do clube, dos jogadores e dos adeptos, convertendo-o para sempre numa equipa ganhadora, ambiciosa, brilhante e possuidora, como os bons vinhos, da sua própria marca de origem mundialmente reconhecida: o ADN Barça.

Se sou um apaixonado pelo futebol e pelo Barça, devo-o ao Cruijff, à sua concepção do futebol como espectáculo (“não basta ganhar, é necessário jogar bem”) e ao seu modelo de jogo ofensivo que teve a coragem de implantar no Barça contra o modelo resultadista italiano que estava a dominar a Europa e a destruir o futebol como espectáculo, tendo em conta que assentava num modelo ultra-defensivo onde o único que importava era ganhar e onde só tinham lugar jogadores de grande porte atlético.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sábado, 27.04.19

Campeões! 8 ligas nos últimos 11 anos.

E o mais extraordinário é que isto parece normal.

24042019_CAMPIONS_ESP.jpg

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sábado, 27.04.19

Barcelona, o nacionalismo catalão e o franquismo

Santana-Maia Leonardo

IMG_20190421_192029_220.jpg

Como não gostar da Catalunha? Como não se render a Barcelona, uma praça-forte do Mediterrâneo tocada pelas luzes da antiga e próspera Europa do norte? Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros e a Catalunha é a mais civilizada região de Espanha.

Isto foi escrito hoje no Expresso por Miguel Sousa Tavares e reproduz precisamente aquilo que eu penso e que eu sinto.

Barcelona é a minha cidade: a cidade onde eu me revejo e com a qual me sinto inteiramente identificado.

Por outro lado, o madridismo centralista e franquista representa precisamente aquilo que eu mais rejeito, me incomoda e assusta.

Não sou nem nacionalista, nem um defensor da independência da Catalunha.  Pelo contrário, gostaria muito de viver num estado ibérico, o que só não aconteceu precisamente pela arrogância e prepotência centralista de Castela.

E se hoje o nacionalismo catalão, um fenómeno absolutamente reacionário, desajustado ao nosso tempo e ao nosso estádio civilizacional, está a ressurgir, deve-se exclusivamente à forma arrogante, estúpida e prepotente como a direita reacionária e franquista espanhola alimentou e está a lidar com o fenómeno.

Concluindo: o nacionalismo catalão e a extrema-direita franquista são dos dois maiores inimigos de Barcelona. No entanto, isso não seria tão preocupante se não se alimentassem um ao outro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sábado, 27.04.19

Requiem de Jan Palach na Praça de S. Venceslau

REQUIEM DE JAN PALACH cantado ontem na Praça de S. Venceslau, em Praga, pelo Coro dos Antigos Orfeonistas da Universidade de Coimbra. Foi precisamente neste local que se imolou pelo fogo o estudante Jan Palach no dia 16 de Janeiro de 1969.

IMG_5819.JPG

aa69eea1-9509-4815-a35a-408fccc272af.JPG

Autoria e outros dados (tags, etc)

Terça-feira, 23.04.19

Ajax e Benfica, duas escolas de formação simétricas

Santana-Maia Leonardo

20324749_BhzcB.jpeg

Ajax e Benfica representam hoje duas grandes escolas de formação assentes em filosofias diametralmente opostas e que reproduzem na perfeição a mentalidade holandesa e portuguesa.

Na Holanda, o Ajax aceita não só repartir as verbas dos direitos televisivos por todos os clubes da sua liga como ainda cede 10% das receitas da Champions para que o campeonato holandês seja mais competitivo e as vitórias mais difíceis de conquistar, designadamente nos jogos fora em que os estádios estão cheios de adeptos adversários.

Em Portugal, pelo contrário, os jogadores do Benfica jogam em estádios cheios de benfiquistas e contra equipas sem receitas para ter um plantel competitivo e onde os melhores jogadores nem sequer podem jogar contra o Benfica ou porque são emprestados ou porque são comprados com um ano de antecedência ou fruto de contratos manhosos ou porque são poupados para o jogo seguinte.

Na Holanda, formam-se jogadores para competir e vencer; aqui deformam-se jogadores porque a vitória já está praticamente garantida antes de se entrar em campo.

Enquanto, na Holanda, seria inconcebível e ofensivo para qualquer adepto do Ajax que uma equipa colocasse menos empenho ou fervor em vencer o Ajax, em Portugal, são os próprios dirigentes, comentadores e adeptos do Benfica que não têm vergonha sequer em manifestar a sua indignação pública na comunicação social e nas redes sociais sempre que um dos clubes a quem chamam “pequenos” coloca um maior empenho no jogo contra o Glorioso, chegando a insinuar, inclusive, que aqueles que se esforçam pela vitória estão ao serviço de terceiros????!!!!...

Com esta mentalidade e nestas circunstâncias, o estranho mesmo é como é que o Benfica não consegue ganhar sempre...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sexta-feira, 12.04.19

O Triunfo dos Porcos (na Liga)

Santana-Maia Leonardo

triunfo-dos-porcos.jpg

Tal como aconteceu no “Triunfo dos Porcos”, também os regulamentos da liga portuguesa deverão ter sido reescritos por algum(s) porco(s) porque reproduzem fielmente o artigo reescrito pelo porco Napoleão no célebre livro de George Orwell: “todos os clubes são iguais mas há uns mais iguais do que os outros.”

Apesar de, na liga, não serem os porcos os animais mais iguais do que os outros não significa que não o sejam efectivamente, porque, como sabemos, em Portugal nem sempre a aparência exterior condiz com aquilo que se é na realidade.

Senão vejamos.

Na Liga dos Animais, os castores foram punidos com um jogo à porta fechada, enquanto as águias, pelos vistos, já vão com sete.

Enquanto os castores já cumpriram o jogo de castigo, as águias recorreram do castigo com providência cautelar, o que significa que nunca irão cumprir o mesmo, como é óbvio, ou não vivessem os clubes portugueses na Quinta dos Animais de George Orwell.

E não vão cumprir porque das duas uma: ou o recurso encontra pelo caminho um daqueles animais “que é mais igual do que os outros” ou, caso a condenação consiga chegar ao final sem esbarrar num desses animais (o que não é fácil), será revogada na altura da sua aplicação, isto é, daqui a dois ou três anos, por novos regulamentos aprovados, por unanimidade, por iniciativa do porco Napoleão.

Por esta andar, já não faltará muito para que a marcação de um penalti com recurso ao VAR contra águias, leões e dragões admita recurso e providência cautelar, para o TAD, Tribunal Administrativo e Tribunal Constitucional, o que significará que o penalti, a manter-se a condenação, só será marcado daqui a 4 ou 5 anos, caso os clubes e a competição ainda existam.

Aliás, estou absolutamente convencido que isto só ainda não sucedeu porque os árbitros lusos, na sua imensa prudência, evitam marcar penaltis decisivos contra os bichos da liga portuguesa que que são mais iguais do que os outros.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Domingo, 07.04.19

Porquê? Até parece que não sabem a resposta....

Santana-Maia Leonardo

clarice_lispector_o_obvio_e_a_verdade_mais_dificil

Quando Rui Santos e muitos daqueles que por aí apregoam, escrevem e defendem que o Benfica, Sporting e Porto deviam descer de divisão, caso aquilo que toda a gente sabe se venha a provar, nunca se interrogaram por que razão isso é impossível de suceder ou por que razão já não sucedeu, face ao que todos sabemos?

Porque se descerem de divisão, a I Liga fica sem clubes e sem adeptos. Os jogos ficam sem espectadores e sem receitas. Quem é que vai querer comprar os direitos televisivos ou outros da liga portuguesa sem Benfica, Sporting e Porto?

Por outras palavras, Benfica, Sporting e Porto podem fazer o que quiserem, inclusive comprar árbitros e subornar jogadores, que nunca vão descer de divisão porque nenhum dos dirigentes que tem direito a voto na Liga e na Federação aceitaria que isso acontecesse, uma vez que todos vivem à conta destes três clubes: dirigentes, treinadores, jogadores, árbitros, televisões, jornalistas, comentadores e, inclusive, os putativos adeptos dos pequenos clubes que, em boa verdade, são adeptos de um destes três.

Ao contrário do que sucede em qualquer liga ou competição europeia, em Portugal, os putativos adeptos dos pequenos clubes só têm interesse que o clube da sua terra jogue na I Liga para poderem ver o Benfica, Sporting e Porto ao vivo na sua terrinha, os únicos clubes que os mobilizam, e a única preocupação dos dirigentes destes pequenos clubes é aumentar a capacidade do estádio ou até mudar de estádio para receber o maior número de adeptos, não do clube da casa, mas do clube adversário.

Portugal só tem três clubes e três clubes é um número manifestamente insuficiente quer para organizar uma verdadeira liga, quer para garantir a integridade da competição. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quarta-feira, 03.04.19

As ligas de futebol e a liga hípica portuguesa

Santana-Maia Leonardo

frases-o-obvio-e-a-verdade-mais-dificil-de-se-enxe

Uma liga de futebol é uma liga disputada por clubes de futebol de dimensões diferentes mas com a mesma dignidade e o mesmo tratamento competitivo.

Por sua vez, a liga hípica portuguesa é uma liga disputada por 3 clubes-cavaleiros e 15 clubes-obstáculos, o que significa que a competição apenas interessa do ponto de vista dos clubes cavaleiros, uma vez que os obstáculos, pela sua própria natureza, independentemente do seu tamanho, não têm adeptos, nem têm voz.

É precisamente este o retrato fiel da liga portuguesa. Basta ligar a televisão e ver o comentário desportivo.

E desafio qualquer português a indicar o nome de um programa desportivo de uma televisão nacional de Espanha, Inglaterra ou de qualquer outro país civilizado onde se comente apenas os jogos onde intervêm os maiores clubes e/ou onde participem comentadores afectos aos maiores clubes.

E por que razão é que isto sucede, se em todos os países há clubes muito maiores do que outros? Porque nos outros países existem clubes, independentemente do seu tamanho, enquanto aqui existem apenas três clubes, enquanto os outros são simples obstáculos e como tal são tratados.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Segunda-feira, 25.03.19

Messi cambió la historia del Barça y del Madrid

Este ano pode ser um ano histórico para o Barça.
Depois de ter ultrapassado o Real Madrid em vitórias nos jogos entre ambos, pode ultrapassá-lo em número de títulos.
O Barça ganhou quase tantos títulos (cerca de 40%) com Messi como em toda a sua história desde 1899.
E desde o aparecimento de Messi, o Barça passou a esmagar o Real Madrid em número de de títulos (33-20, por enquanto).

Messi.jpg

Autoria e outros dados (tags, etc)

Terça-feira, 12.03.19

Nós somos futebolistas

Plantel 2018-19.jpg

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sexta-feira, 08.03.19

O futebol não é para raparigas. Nem para rapazes. O futebol é para futebolistas.

1.jpg

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sexta-feira, 08.03.19

Barça vs Real Madrid : a democracia e o caudilhismo

53648579_1245558145595086_5932646215819722752_o.jp

Neste século, FC Barcelona e Real Madrid procederam a duas alterações estatutárias relevantes e que definem bem o ADN de cada clube:

     - nos estatutos do Barça, foi introduzida a limitação de mandatos (máximo: 2 mandatos), impedindo, desta forma, a perpetuação dos presidentes nos cargos e reforçando a democracia interna e a transparência;

     - no Real Madrid, por sua vez, Florentino Peres, como vista à sua perpetuação no poder, introduziu duas condições praticamente impossíveis de preencher para quem se quiser candidatar ao cargo: 20 anos de antiguidade como sócio e obrigatoriedade de dar o aval a 15 por cento do orçamento de despesas.

Ou seja, enquanto o FC Barcelona optou por reforçar a componente democrática, o Real Madrid optou por reforçar a componente caudilhista.

A eterna luta entre a Democracia e a Ditadura.

Como toda a gente sabe e quase todos defendem (menos eu e pouco mais), o modelo caudilhista do Real Madrid é o modelo seguido pelos clubes portugueses, com uma ligeira diferença: enquanto o presidente do Real Madrid tem de ter capacidade para dar o aval a 15% do orçamento das despesas do clube, em Portugal são os clubes que avalizam (e pagam) as dívidas dos seus presidentes.

No entanto, é bom não esquecer que foi precisamente o FC Barcelona da limitação dos mandatos que destronou o Real Madrid ultra-caudilhista.

O FC Barcelona é, hoje, o clube com mais títulos deste século e com tendência para aumentar, o que significa que a perpetuação dos presidentes no poder, como é defendido pela esmagadora maioria cá do burgo, está longe de ser uma garantia de sucesso.

A não ser para a carteira dos presidentes, como é óbvio...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Segunda-feira, 24.12.18

Boas Festas

Postal de Natal 2018a.jpg

Autoria e outros dados (tags, etc)


Perfil

SML 1b.jpg



Visitantes


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Quimeras


Alma, Eléctrico!


Livros

Capa - 3ª Edição.jpg

Capa - Frente.jpg

Capa Bocage.jpg 

Capa.jpg 

Eléctrico - Um Clube com Alma.jpg

Mistério Sant Quat (I).jpg


Livros-vídeo


eBooks




calendário

Julho 2019

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D