Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

Domingos Lopes - Público de 3-11-2014

As notícias e os casos que envolvem corrupção são tão latitudinários que ocorre fazer esta pergunta simples: há ou não há polític@s honrad@s que não pactuem com a corrupção, cancro com metástases espalhadas em toda a comunidade?

Os casos conhecidos tocam sobretudo dirigentes dos partidos do chamado arco da governação e aparecem nos media ao sabor não se sabe bem de que cozinheiros…e de que cozinhados…

Universidades, equipamentos das Forças Armadas, bancos, ações, créditos, privatizações, fundos europeus, subsídios, vendas de empresas públicas, fugas ao fisco de alguns fundamentalistas defensores da austeridade, offshores, facilitadores de grandes negócios, negócios envolvendo escritórios de advogados, construção imobiliária nas mais diversas autarquias são, entre muitos, exemplos da magnitude que envolve a corrupção na vida nacional.

Abrange figuras do vértice do Estado e de áreas da governação central e local. E para além do que é conhecido e vem a público o mais grave é o que se respira na sociedade. Sente-se que ela está omnipresente desde o emprego para o militante do partido no poder até às luvas se tal negócio se se fizer de certo modo ou aos “agradecimentos” por as coisas terem corrido como foi combinado e graças à influência de Vossa Excelência… (...)

A corrupção instalou-se e está de boa saúde. A República está contaminada e gera desconfiança na comunidade. (...)

Quando estão na “oposição” há partidos que têm um comportamento antigovernamental… porém, mesmo antes das portas do poder se escancararem começam a ajeitar-se para virem a deixar cair a diferença apregoada e assumirem enfatuados o realismo da governação. (...)

Independentemente da discussão sobre o sistema político partidário acerca da sua responsabilização pela situação criada, o sistema, em si, terá já degenerado a ponto de todas as mulheres e todos os homens honrados se remeterem ao silêncio dos inocentes, deixando crucificar o país e colocar as suas riquezas no altar das grandes negociatas?