Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

10 Nov, 2020

Everybody Knows...

1.jpg

Hoje os clubes portugueses só têm destaque na imprensa internacional por más razões (clicar sobre a foto para ler a notícia). Mas o que verdadeiramente me entristece e envergonha são duas coisas que todos os portugueses sabem:

PRIMEIRA - Todos sabem que isto é verdade. Ou seja, todos sabem que a contratação em massa de jogadores pelo Benfica nos últimos anos visa juntar o útil ao agradável: por um lado, facilitar as vitórias do Benfica, desfalcando as equipas adversárias dos seus melhores jogadores, ao mesmo tempo que as reforçam contra os adversários directos do Benfica; e, por outro, enriquecer com as negociatas os administradores das SAD dos clubes respectivos, criando laços de dependência e uma rede.

SEGUNDA - Todos sabem que isto não vai dar em nada. E não vai dar em nada, porque os adeptos dos clubes envolvidos são adeptos do Benfica, Sporting e Porto, clubes que também têm tido esta prática, ainda que com dimensões diferentes. Porque, se os adeptos dos clubes envolvidos fossem verdadeiramente desses clubes, os administradores das SAD já há muito que estavam pendurados nos postes da luz dos respectivos estádios para serem devorados por abutres verdadeiros.

No tempo do Apito Dourado, a corrupção desportiva só ainda tinha chegado às sobremesas (fruta e café com leite). Mas, na Era Digital dos E-Toupeira e dos E-mails, evoluiu para a refeição completa, até porque o Benfica tem mais peso institucional do que o FC Porto e tem sede em Lisboa, o que faz toda a diferença. O Sporting, com Godinho Lopes e Bruno de Carvalho, também quis copiar o modelo. Só que a Godinho Lopes faltou-lhe o jeito e a Bruno de Carvalho saltou-lhe um parafuso.

No entanto, o pior de tudo ainda não é o facto de todos saberem. O pior de tudo é todos acharem que isto é normal com o argumento de que todos fazem o mesmo e, se não fazem, é porque não podem.

Santana-Maia Leonardo