Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

Manuel Carvalho - Público de 5-4-2015

(...) Opções como a construção de auto-estradas e outras obras públicas na geração Cavaco-Guterres-Durão-Sócrates resultam apenas de uma atitude comodista que, justamente, considera ser mais fácil pagar a empreiteiros do que fazer escolhas e realizar políticas que dispensam inaugurações. A falta de empenho reformista deste Governo, que agora, no final do mandato, se tenta dar ares de solene empenho com as mudanças em áreas como descentralização administrativa ou a Educação, é a prova acabada dessa impreparação para liderar o país numa visão a prazo. (...)

Portugal caiu no delírio da dívida e no comodismo do desequilíbrio externo porque, uma vez mais, quem governava estava mais disposto a ceder ao facilitismo do que à análise consciente dos problemas. Se até 1995 ainda se podia acreditar um vislumbre de políticas agrícolas, de políticas industriais e seguramente em visões para o desenvolvimento das diferentes regiões do país, com Durão Barroso e José Sócrates entrámos num vazio de pensamento estratégico que nos persegue até aos dias de hoje.

Os esforços gigantescos que todos os anos se fazem para combater os fogos são o sinal desses erros e das omissões de sucessivos governos. Anos depois de identificados os problemas e de discutidas e aprovadas soluções, a floresta portuguesa continua a ser uma terra de ninguém, abandonada e sujeita ao fogo. Há amplas manchas florestais cujos proprietários são desconhecidos por falta de um cadastro; há a impunidade instituída para os que não se preocupam em limpar os seus espaços; há um absurdo desordenamento que tornou Portugal num país de eucaliptos; e há, claro, um pasto garantido para as chamas que nem a abnegação dos bombeiros nem o aparato militarizado da fase Charlie conseguirá travar.