Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

 Ajax 1.jpg

Em 1968, recém-chegado a Ponte de Sor, quando frequentava a 3.ª classe, deparei-me, para surpresa minha, com o facto de todos os alunos serem do Benfica e do Sporting. No entanto, nos pequenos torneios que disputávamos entre nós, para além da equipa do Benfica e do Sporting, havia sempre uma outra equipa que ganhava cada vez mais adeptos entre a garotada: nada mais nada menos do que o Ajax que, nesse ano, tinha despontado e deslumbrava a Europa com o seu futebol total. E como eu era o único adepto do Vitória, passei a jogar naturalmente pelo Ajax.

Foi, por isso, com alguma emoção que vesti a camisola do Ajax e assisti ao jogo Ajax – Twente no Amsterdão ArenA, no passado dia 12 de Março, um estádio da última geração, que permite fechar a cobertura e com mais de 50 mil lugares.

O palmarés do Ajax é, aliás, muito superior ao palmarés de qualquer clube português. O Ajax tem 4 Ligas dos Campeões (71, 72, 73 e 95), 1 Taça das Taças (87), 1 Taças Uefa (92), 3 Supertaças europeias (72, 73 e 95) e 2 Taças Intercontinentais (2).

O Ajax foi, juntamente com a Juventus, o Bayern e o Barcelona, a única equipa a ganhar as três maiores competições da Europa.

E se o Ajax de Cruijff dos anos 70, como o seu “futebol total”, marcou uma época e revolucionou o futebol mundial, transformando-o num espectáculo altamente profissionalizado, o Ajax de Frank Rijkaard e Marco van Basten dos anos 80 e o Ajax de Van Gaal dos anos 90 mantiveram o clube entre a elite do futebol mundial.

No entanto, apesar deste passado glorioso, bastante recente e duradoiro, saliente-se, a verdade é que, com a criação da Liga dos Campeões e a centralização dos direitos televisivos, ou seja, com a transformação do futebol numa indústria, o Ajax deixou de ter condições para poder aspirar a outros voos e vai ter de se contentar, tal como as equipas portuguesas, belgas, turcas e gregas, a um lugar na segunda divisão europeia.

Ajax 2.jpg