Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

por António Castelbranco  O projecto para o Museu Ibérico de Arte e Arqueologia pode ser interpretado da seguinte forma: É uma ideia que à partida até pode parecer apelativa e à moda dos grandes centros urbanos, das cidades cosmopolitas, mas que, em Abrantes, não encontra o contexto necessário para uma existência pacífica como o centro histórico onde se quer localizar e impor.   Trata se de (...)
  Phil Hawes, arquitecto americano, discípulo do famoso arquitecto Frank Lloyd Wright, e arquitecto do conhecido projecto Biosfera 2, esteve em Abrantes, aproveitei para o entrevistar: Mário Semedo: agora que teve contacto com o projecto para o Museu de Ibérico, qual a sua opinião sobre o projecto?Phil Hawes: Estou completamente estupefacto com a arquitectura proposta para o Museu Ibérico. (...)
01 Jun, 2009

MUSEU IBÉRICO

por António Castelbranco           Quero partilhar convosco umas imagens do que se pretende construir em Abrantes: o Museu Ibérico de Arqueologia. É uma ideia óptima, mas parece-me um projecto completamente fora de contexto.  Faz muito lembrar o pavilhão do conhecimento da Expo 98, mas no meio do centro (...)
22 Mai, 2009

O CAIXOTE DA PRAXE

 por António Castelbranco   Tive notícia de que o projecto para o Museu Ibérico está em fase de aprovação final. Não vamos falar de custos de projecto, nem de custos de construção, nem de custos de manutenção do museu, nem de quem os vai pagar… nem tão pouco vamos falar da crise! Vamos falar de informação, e vamos falar de democracia participativa, de participação cívica, em (...)
  O tipo desce na estação de metro de NY vestindo jeans, t-shirt e boné, encosta-se próximo à  entrada, tira o violino da caixa e começa a tocar com entusiasmo para a multidão que passa por ali, bem na hora rush matinal. Durante os 45 minutos que tocou, foi praticamente ignorado pelos transeuntes, ninguém sabia, mas o músico era Joshua Bell, um dos maiores violinistas do mundo, executando (...)
05 Mar, 2009

OPORTUNIDADE

por António Belém Coelho  Terá sido hoje inaugurado um monumento ou obra de arte situada em pleno Aquapólis. Conforme já tive ocasião de referir publicamente em sede de Assembleia Municipal, não me pronuncio sobre a excelência da arte, seja ela qual for e de que forma se apresentar. Aliás, reconheço que o autor desta obra é um artista de renome nacional e internacional, com muitas das suas (...)
11 Fev, 2009

ARTE

por António Belém Coelho  Mas a verdadeira questão, nem sequer é bem essa. Então, numa altura em que toda a gente e muitas instituições contam os tostões, é moralmente responsável gastar verbas naquela obra? Não sei ao certo quanto é, porque ainda não me dei ao trabalho de tal, mas, pelo que me informaram, tenho por certo que orçam várias dezenas de milhares de euros. Não há dúvida de (...)
08 Fev, 2009

O MONÓLITO

 por Manuel Catarino  Armado em tonto, a cantarolar logo de manhã, porque só pode ser tonto quem cantarola com esta crise, meto a chave na caixa do correio e sai de lá de dentro uma molhada de papel. Umas poucas contas e um montão de publicidade de produtos que eram um regalo para os olhos e uma asfixia para a carteira. No meio deste embrulho vejo uma revista com um papel de superior qualidade e (...)
Santana Maia - in Semanário de 16/3/09   Antigamente, a obra de arte estava ao alcance do discernimento de qualquer pessoa, porque estava directamente relacionada com o conceito de beleza. Era o tempo em que imperava a estética aristotélica, a estética da beleza. E o que distinguia o génio do homem comum era precisamente o facto de aquele conseguir conceber coisas belas, dignas de admiração e (...)