Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

COLUNA VERTICAL


Sábado, 27.11.10

REUNIÃO DA CÂMARA DE 15/11/10 (acta fls.5)

PONTO DO ARCO - RIO DE MOINHOS

Resposta da senhora presidente da câmara

ao pedido de esclarecimento dos vereadores do PSD de 5/7/2010

 

A presidente da câmara Revelou que a autarquia não fez qualquer investigação sobre a preparação da ponte para a acolher as viaturas, até porque as viaturas não são muitas, no entanto espera que em breve se iniciem as obras.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quarta-feira, 20.10.10

REUNIÃO DA CÂMARA DE 18/10/10 (extracto IV)

PONTO Nº4, 5, 6 e 8 - CENTRO ESCOLAR DE TRAMAGAL, BEMPOSTA, RIO DE MOINHO

E CENTRO DE ACOLHIMENTO DO TEJO - AQUAPOLIS

Declaração de voto (A FAVOR) dos vereadores do PSD 

 

Os vereadores do PSD não podem deixar de aprovar estes projectos, como é óbvio.

 

No entanto, não podemos deixar de chamar a atenção do executivo para a necessidade de se reavaliarem todos os projectos que vão ser apresentados ao QREN, tendo em conta que Portugal se encontra à beira da bancarrota, o que vai obrigar a cortes cada vez maiores nos orçamentos das autarquias, causando-lhes, consequentemente, dificuldades, quer para cumprir os compromissos já assumidos, designadamente com os seus funcionários e fornecedores, quer para fazer a manutenção dos equipamentos e das obras já executadas.  

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quinta-feira, 30.09.10

Assembleia Municipal de 27/9/10 (extracto V)

SAPADORES NORTE

Intervenção do deputado municipal do PSD João Paulo Rosado

Gostaríamos de ser informados pelo executivo da Câmara Municipal de Abrantes em que fase se encontra a vossa iniciativa/proposta de criar uma equipa de Sapadores para o Concelho Norte (Aldeia do Mato, Carvalhal, Martinchel, Rio de Moinhos e Souto) com o intuito de limpar as matas e as linhas de água.

Em reuniões tidas para o efeito, todas as freguesias envolvidas reconheceram a importância e urgência deste projecto e demonstraram disponíveis para participar.

Com o Inverno a chegar, uma equipa deste cariz poderia evitar muitos problemas com as linhas de águas, sobretudo nas freguesias de Aldeia do Mato e Rio de Moinhos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sexta-feira, 24.09.10

FREGUESIAS SEM FARMÁCIA (mail recebido)

Sra Presidente da Câmara Municipal de Abrantes

Sra Presidente da Junta de S Miguel do Rio Torto

 

Este e-mail serve para alertar vossas Senhorias que São Miguel do Rio Torto irá ficar sem Farmácia nos próximos tempos, pois a dona da farmácia irá mudá-la para a cidade de Abrantes, este acto é um atentado para as gentes da nossa terra para não falar das Bicas e Vale de Açor.

 

Ficámos sem a nossa Médica de Família porque a Câmara transferiu-a para Alvega para ver se a farmácia de lá não fechava. Mas afinal vai fechar e vai abrir em Alferrarede essa farmácia. Entretanto arranjaram uma senhora que vem cá fazer de médica quando lhe apetece.

 

Isto não pode ser assim, acho que vós que foram eleitas pelo Povo devem actuar senão ficaremos mesmo sem farmácia.

 

Apesar de não ser importante para mim, porque o que me interessa é a minha terra, devo informar a senhora Presidente da Câmara que as farmácia das Mouriscas e de Rio de Moinhos andam-se a preparar para virem para a cidade, já começaram a sondar para comprarem as lojas.

 

Qualquer dia é só Abrantes e o resto à volta é paisagem.

 

Saudações Cordiais 

JCatroga

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quarta-feira, 08.09.10

CONFERÊNCIA PDM - CONCLUSÕES

No passado dia 26 de Junho de 2010, na Freguesia de Rio de Moinhos, a CPS do PPD/PSD de Abrantes, organizou uma conferência subordinada ao tema “O PDM no Concelho de Abrantes – Novos desafios a nível do ordenamento do território”, na qual participaram os seguintes oradores: Rogério Gomes, António Paiva, António Castelbranco, Ilídio Magalhães, João Paulo Rosado e Diogo Valentim.

 

Desta conferência resultaram as seguintes conclusões:

 

      (I) O ordenamento do território e a racionalização dos meios e recursos só será conseguido através do combate à dispersão e privilegiando a existência de núcleos urbanos concentrados;

 

      (II) Núcleos urbanos concentrados permitem uma maior racionalização dos recursos, designadamente dos serviços, equipamentos e de todas as outras  infra-estruturas, ao contrário do que acontece nos núcleos urbanos com grande dispersão, como se verifica na cidade de Abrantes, gerando, consequentemente, muito menos custos para o Estado e para Município, logo, para os contribuintes;

 

      (III) Núcleos urbanos concentrados permitem ainda que os residentes usufruam mais eficientemente dos serviços, equipamentos e demais infra-estruturas colocadas à sua disposição, poupando tempo, dinheiro e contribuindo positivamente, para a qualidade do ambiente, através da consequente redução das emissões de dióxido de carbono;

 

      (IV) A densidade populacional é inversamente proporcional à emissão de dióxido de carbono, pois as cidades com maior densidade consomem, comparativamente, menos energia, emitindo menos dióxido de carbono per capita;

 

      (V) As emissões de dióxido de carbono estão já hoje na ordem do dia como um factor decisivo no desenvolvimento das cidades, sendo os créditos de carbono um factor decisivo a ter em conta num futuro próximo, sobretudo num concelho em que a sua maior área útil é a florestal.

 

      (VI) Impõe-se, pelas razões supra-citadas, uma redução do perímetro urbano de aglomerados populacionais, em particular, de Abrantes (que tem um perímetro urbano dimensionado para 85.000 habitantes, quando as melhores previsões nos próximos 10 anos apontam para os 20.000 habitantes e, actualmente, se situa nos 14.000 habitantes) e a qualificação dos núcleos rurais existentes, através da previsão de expansão habitacional, pela valorização, preenchimento e eventual crescimento de núcleos existentes.

 

      (VII) Como medida para combater a especulação imobiliária e o favorecimento de determinados grupos económicos em detrimento dos pequenos proprietários rurais, deveriam ser consideradas como bem público as mais-valias geradas pelas operações urbanísticas, o que favoreceria também uma maior estabilidade do uso dos solos.

 

      (VIII) Os municípios deviam articular com o poder central e os agentes económicos locais políticas que visem a rápida recuperação das áreas abandonadas ou semi-abandonadas do espaço rural.

 

      (IX) Para além das entidades previstas por lei, todos os autarcas e presidentes de junta, em particular, deverão ser parceiros privilegiados na discussão do PDM do Concelho, face ao conhecimento detalhado e integrado que têm das suas freguesias.

 

      (X) O PDM do concelho de Abrantes deverá ser articulado com os concelhos limítrofes, de forma a evitar descontinuidades e contradições no ordenamento do território, numa lógica de compatibilidade regional.

 

      (XI) O PDM deverá ser sempre um instrumento que visa o desenvolvimento sustentado e sustentável do concelho.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Segunda-feira, 12.07.10

REUNIÃO DA CÂMARA DE 5/7/10 (acta fls.3)

PONTES DA ALDEINHA E DO ARCO - SITE DAS FREGUESIAS - MARGENS DO TEJO

Esclarecimentos da presidente da câmara ao pedido dos vereadores do PSD

 

O Vereador Rui André apresentou o seguinte pedido de esclarecimentos:

 

“Os vereadores do PSD gostariam de saber o seguinte:

 

     I)   Para quando a reconstrução do ponte da Aldeinha, freguesia de Rio de Moinhos, que foi destruída no mês de Dezembro de 2009?

 

     II)  Já se encontra calendarizada alguma vistoria à ponte do Arco, em virtude do grande aumento do volume de trânsito para o qual não está manifestamente preparada?

 

     III)  Em que situação se encontra o projecto, iniciado pelo anterior executivo, de criação de um site para todas as freguesias do concelho através do portal da autarquia?

 

     IV)  Para quando se prevê a realização do projecto intermunicipal de recuperação e valorização das margens do Rio Tejo entre os Concelhos de Vila Nova da Barquinha, Constância e Abrantes?”

 

Quanto à questão da ponte da Aldeínha a Presidente da Câmara informou que, embora se reconheça a premência da sua reconstrução, ainda não há data precisa para a sua execução, na medida em que é necessária a execução do projecto e a obtenção de licenciamento junto das entidades competentes. Relativamente à ponte do Arco não conhece a condição da mesma. No entanto, irão os serviços averiguar e informar em conformidade.

 

Sobre a criação de site para todas as freguesias, informou que o projecto intermunicipal Médio Tejo Digital irá ser reestruturado e que os sites das freguesias irão ser incluídos nesse projecto, num âmbito mais alargado. Por agora, estão os serviços municipais a criar condições para que, logo que haja essa reestruturação, seja possível avançar com os sites de imediato.

 

Por último, e sobre a questão da valorização das margens do Tejo, deu conta que a iniciativa se insere no âmbito do PROVERE – Programas de Valorização Económica de Recursos Endógenos – Estratégias de Eficiência Colectiva. Nesta iniciativa, pretende-se a criação de uma rota pedonal, que permita também o trânsito de bicicletas, desde Alvega até Vila Nova da Barquinha. Referiu que o projecto será desenvolvido em 2011 e que, pese embora os recursos e os meios disponíveis tenham vindo a ser canalizados para outros projectos mais urgentes, este não está abandonado. Já foi feito um levantamento e já foram realizadas reuniões com a ARH – Administração da Rede Hidrográfica do Tejo, IP. com vista à necessária articulação dos acessos ao rio, em ambas as margens.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quarta-feira, 07.07.10

REUNIÃO DA CÂMARA DE 5/7/10 (extracto II)

PONTES DA ALDEINHA E DO ARCO - SITE DAS FREGUESIAS - MARGENS DO TEJO

Pedido de esclarecimento dos vereadores do PSD

 

Os vereadores do PSD gostariam de saber o seguinte:

 

     I)    Para quando a reconstrução da ponte da Aldeinha, freguesia de Rio de Moinhos, que foi destruída no mês de Dezembro de 2009?

 

     II)   Já se encontra calendarizada alguma vistoria à ponte do Arco, em virtude do grande aumento do volume do trânsito para o qual não está manifestamente preparada?

 

     III)   Em que situação se encontra o projecto, iniciado pelo antigo executivo,  de criação de um site para todas as freguesias do concelho através do portal da autarquia?

   

     IV)   Para quando se prevê a realização do projecto intermunicipal de recuperação e valorização das margens do Rio Tejo entre os concelhos de Vila Nova da Barquinha, Constância e Abrantes?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quarta-feira, 23.06.10

O PDM NO CONCELHO DE ABRANTES (CONFERÊNCIA)

Rio de Moinhos – Salão da Sede Social da Junta de Freguesia

 26 de Junho 2010 - 15h

 

O PDM no Concelho de Abrantes

Novos desafios a nível do ordenamento do território

 

Rogério Gomes  

Mestre em Planeamento Ambiental e Ordenamento do Território

“Um modelo territorial e um modelo urbano para o PSD: suas consequências na apreciação de um PDM”    

 

António Paiva

Mestre em Administração Pública e Planeamento

“PROT e PDM - Uma visão autárquica”

 

Debate

 

António Castelbranco

Doutor em Planeamento Urbanístico

“O parâmetro sustentabilidade no planeamento do território”

 

Ilídio Magalhães

Engenheiro Agrícola

“Que modelo de ordenamento para o espaço rural?”

 

Debate

 

João Paulo Rosado

Presidente de Junta da Freguesia de Rio de Moinhos

“Situação actual do PDM em Abrantes”

 

Diogo Valentim

Presidente de Junta da Freguesia de Souto

“Constrangimentos do PDM – Caso prático do Souto”

 

Debate

 

ENCERRAMENTO

 

Vasco Cunha

Presidente da Comissão Política do PSD Distrital 

 

MODERADORES

 

Manuela Ruivo

Presidente da CPS do PSD de Abrantes 

Santana-Maia Leonardo

Vereador do PSD 

António Belém Coelho

Vereador do PSD

 

ORGANIZAÇÃO

 

Comissão Política de Secção do PSD de Abrantes

Autoria e outros dados (tags, etc)

Segunda-feira, 01.03.10

ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE 26/2/10 (extracto V)

PEDIDO DE INTERVENÇÃO NAS RIBEIRAS DA FREGUESIA DE RIO DE MOINHOS

Intervenção da bancada do PSD
 
Como é do conhecimento da senhora presidente, durante o mês de Dezembro/09 e até ao corrente mês as localidades de Amoreira, Aldeinha, Arco, Braçal, Pucariça e Rio de Moinhos têm sido assoladas com um excesso de água nos leitos dos diversos ribeiros que atravessam a freguesia em direcção ao rio Tejo, transbordando e inundando as áreas circundantes, provocando sobretudo estragos materiais em estradas públicas, pontes, hortas e acessos às mesmas.
Como é do conhecimento, a ponte que liga a Aldeinha à Feia/Arco foi derrubada por não apresentar condições de segurança, mas já passaram 2 meses e os habitantes da Feia cerca de 50 pessoas, muitas delas idosas e crianças, para se deslocarem para Rio de Moinhos (Comércio, Extensão de Saúde, Escolas) têm de percorrer um caminho alternativo, implicando, pelo menos, mais 3Km.
As pessoas encontram-se muito descontentes e pretendem numa 1º fase, pelo menos, uma solução pedonal para que a travessia possa ser realizada pelos habitantes.
Em relação a esta questão, o senhor presidente da Junta João Paulo Rosado deu-nos conhecimento, no início desta sessão, que o senhor vice-presidente da câmara o contactou esta tarde, dando conhecimento de que as obras da ponte vão arrancar na próxima terça-feira.
Congratulamo-nos com a informação, apesar de considerarmos que esta intervenção já se deveria ter iniciado.
O assunto das ribeiras é algo complexo. Sabemos que a lei é muito clara: a autarquia só tem competências nas áreas urbanas e públicas, nas áreas rurais a responsabilidade é da Hidráulica (INAG) mas também dos particulares.
No entanto, seria de todo conveniente que a autarquia promovesse um estudo com as entidades competentes, sobre as ribeiras de Rio de Moinhos e Amoreira, de forma a evitar a erosão desmedida e os estragos materiais consecutivos ano após ano.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Terça-feira, 05.01.10

REUNIÃO DA CÂMARA DE 28/12/09 (extracto II)

INTERVENÇÃO DO VEREADOR RUI ANDRÉ

 
1.      Visto que este executivo pretende apostar na Praia Fluvial de Aldeia do Mato e que uma das estradas de ligação passa pela Freguesia de Rio de Moinhos, informo o executivo que deverá proceder a uma solução alternativa e de carácter urgente na passagem pelo centro urbano de Rio de Moinhos.
Uma estrada por fora do centro de Rio de Moinhos poderia ser uma alternativa adequada mas tem de ser equacionada uma solução rápida para que não tenhamos um problema de fluidez de trânsito na aldeia.
O trânsito na aldeia de Rio de Moinhos mudou há mais de um ano e achamos e merece que seja feita uma melhoria no actual tráfego rodoviário.
A rua dr. João de Deus assim como a Rua do Canto deveria ter um só sentido. Foi dito, pelo dr. Pina da Costa, vereador na altura, que esta decisão seria provisória até encontrar uma solução.
A solução é simples e vem colmatar a única excepção de sentido único existente em Rio de Moinhos: a abertura da Rua do Canto, passando pelo campo de futebol até ao cruzamento do restaurante da Cristina Mota é inevitável. Outro factor é a construção do novo Centro Escolar de Rio de Moinhos que ficará situada na Rua do Canto. 
Fica o alerta do PSD a estes dois problemas da freguesia de Rio de Moinhos.
 
2.      Outra preocupação do PSD visa a melhoria da iluminação pública nas estradas em terra batida ou por asfaltar.
Muitos condutores se queixam das estradas em mau estado de conservação e ainda por cima com falta de iluminação ou com iluminação insuficiente, o que prejudica em demasia os condutores que por ali passam.
 
3.      O executivo da Câmara Municipal de Abrantes deveria rever/melhorar o regulamento dos empréstimos dos autocarros da Câmara Municipal com isenção de pagamentos de taxas às Juntas de Freguesia do concelho no sentido de dar oportunidades a todas as Juntas de Freguesia o empréstimo de uma forma equitativa e de acordo com as áreas geográficas, número de população e número de associações de cada freguesia.
O PSD defende que deveria existir um crédito de quilómetros por freguesia de acordo com os critérios atrás mencionados.
 
4.      Por fim, o PSD sugere que as reuniões públicas deveriam ser acompanhadas online por qualquer cibernauta interessado no desenvolvimento do concelho e respectivas freguesias que, por derivadas situações, não pode deslocar-se naquele dia e aquela hora.
Nesta Democracia, é fundamental a participação activa dos cidadãos e que se possa proporcionar uma alternativa tecnológica simples e com poucos custos para a Câmara Municipal de Abrantes.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quinta-feira, 10.09.09

FESTA PAROQUIAL DE RIO DE MOINHOS (5 Setembro)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sábado, 29.08.09

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE RIO DE MOINHOS

 

João Paulo Rosado tem 38 anos e é, desde 2001, o tesoureiro da Junta de Freguesia de Rio de Moinhos, tendo realizado todos os Orçamentos e Prestação de Contas desta freguesia que, saliente-se, foram sempre aprovados por unanimidade pelas diferentes Assembleias de Freguesia. 
 
Natural desta freguesia, onde reside, é licenciado em Gestão de Empresas, sendo actualmente o responsável pela Divisão de Contabilidade de uma empresa multinacional da região.
 
É, desde 2007, o presidente da Associação de Pais e Encarregados de Educação do Oeste (Abrançalha de Baixo, Amoreira, Martinchel, Pucariça e Rio de Moinhos) e membro do Conselho Geral Transitório do Agrupamento Dr. Manuel Fernandes de Abrantes. 
 
Jogou futebol no Sporting Clube de Abrantes (onde foi campeão distrital de juvenis), Dragões de Alferrarede, na Casa do Povo de Rio de Moinhos e na Associação de Moradores de Amoreira. Por sua vez, na Faculdade, foi membro da direcção da Associação de Estudantes, sendo responsável pela área desportiva.
 
EFECTIVOS:
João Paulo Leitão Rosado, Técnico Oficial de Contas, 38 anos
Raquel Sofia da Costa Marques, Educadora, 23 anos
João Filipes Domingos, Técnico Máquinas, 38 anos
Nuno Miguel Ferreira Lopes, Operador Fabril, 32 anos
Susana Maria Damas Antunes, Assistente Técnica, 34 anos
Manuel Rosa Dias, Escriturário Superior, 47 anos
Vera Mónica Ramos Ferreira, Operadora de Caixa, 29 anos
Licínio Maria Caldeira dos Santos, Desenhador, 43 anos
Filipa Isabel Brites Ferreira, Estudante, 25 anos
 
SUPLENTES:
Manuel José Martins Pires, Técnico Auxiliar de Pecuária, 53 anos
Catarina Isabel Pires Gaspar, Bancária, 25 anos
António Manuel Lopes Garrinhas, Operário Fabril, 48 anos
Isabel Maria Batista Ferreira Lopes, Empregada Fabril, 42 anos
Maria José Rosa Canana Mendes, Técnica Análises Clínicas, 50 anos
Maria do Rosário Soares Serra, Engenheira Agrícola, 43 anos

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sábado, 23.05.09

ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DA AMOREIRA

 

No dia 2 de Maio, Santana Maia, candidato do PSD à Câmara de Abrantes, acompanhado do Rui André, presidente da Junta de Freguesias de Rio de Moinhos, João Paulo Rosado, actual tesoureiro e candidato a presidente da Junta, Nuno Lopes, presidente da Assembleia Geral da Associação de Moradores de Amoreira e Manuel Rosa Dias, presidente da Assembleia de Freguesia de Rio de Moinhos, visitou as instalações da Associação de Moradores da Amoreira para se inteirar do trabalho desenvolvido e das suas principais dificuldades.
 
A Associação de Moradores de Amoreira foi fundada no ano de 1979 e teve como fundadores Manuel Clemente, Joaquim Lopes Mendes, Arsénio de Oliveira Cristóvão, Rogério da Silva Gaspar e José António Pires Bexiga que constituíram também a primeira direcção, tendo sido Manuel Clemente o seu primeiro presidente.
 
A Associação de Moradores de Amoreira é uma associação local de utilidade pública, sem fins lucrativos, e tem como objectivo servir o interesse geral de todos os habitantes da aldeia, proporcionando o seu bem-estar. A Associação desenvolve várias actividades culturais, desportivas e recreativas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sábado, 23.05.09

VISITA AO CENTRO. C. D. DA AMOREIRA

 

No dia 11 de Janeiro, Santana Maia, candidato do PSD à Câmara de Abrantes, acompanhado dos vice-presidentes da comissão política concelhia do PSD Emídio Direito e Luís Ablú, assistiu ao jogo de futebol do campeonato do Inatel disputado pelo Centro Cultural e Desporto da Amoreira, visitou as instalações do clube e confraternizou com os jogadores, associados e dirigentes do clube.
 
Esta associação foi fundada em 20/11/1980, por Arsénio Cristóvão, João Afonso, Jorge Barra e Costa, sendo o futebol de 11 a sua principal actividade. Teve a sua génese no Centro Popular de Trabalhadores de Amoreira fundado em 1979 e que teve dois motivos determinantes para a sua criação: o advento do 25 de Abril que proporcionou o aparecimento de uma grande número de associações tanto culturais como desportivas; o elevado número de jovens que residiam em Amoreira e desenvolviam a sua actividade desportiva preferida, ou seja, o futebol, noutras equipas principalmente na Casa do Povo de Rio de Moinhos.
 
Por determinação do INATEL, ao fim de alguns anos, o Centro Popular de Trabalhadores de Amoreira, deu lugar ao actual Centro de Cultura e Desporto de Amoreira. Consta no seu palmarés dois títulos de campeão distrital, nas épocas de 1987/88 e 2001/02, tendo sido diversas vezes campeão de série e duas vezes vice-campeão distrital.
 
Esta candidatura não esquece o esforço tremendo de todos os dirigentes que dedicam os seus tempos livres à causa pública, militando nas diferentes associações do nosso concelho, lutando contra todas as adversidades, que são muitas, a começar pelo abandono a que são votados pelo município. Estas pessoas enchem-nos de orgulho e fazem-nos ter esperança num futuro melhor, sendo certo que solidariedade social é uma dádiva fundamental na construção de uma sociedade equilibrada, harmoniosa e justa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sexta-feira, 15.05.09

CAIS DE ACOSTAGEM DE RIO DE MOINHOS

 

No dia 2 de Maio, Santana Maia, candidato do PSD à Câmara de Abrantes, acompanhado do Rui André, presidente da Junta de Freguesias de Rio de Moinhos, João Paulo Rosado, actual tesoureiro e candidato a presidente da Junta, e Manuel Rosa Dias, presidente da Assembleia de Freguesia, visitou o cais de acostagem de Rio de Moinhos.
 
O cais foi reconstruído em 1903, existindo no local uma placa com a seguinte inscrição 28-11-1903. Mais de um século de história. Este Cais encontra-se, no entanto, abandonado e necessita de uma intervenção urgente na muralha existente. Intervenção prometida pelo actual presidente da Câmara Municipal em 2005, mas que ainda não foi cumprida.
 
Urge, pois, uma valorização e recuperação deste património histórico e natural de grande importância para a freguesia mas também para o concelho de Abrantes.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Perfil

SML 1b.jpg



Visitantes


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Quimeras


Alma, Eléctrico!


Livros

Capa - 3ª Edição.jpg

Capa - Frente.jpg

Capa Bocage.jpg 

Capa.jpg 

Eléctrico - Um Clube com Alma.jpg

Mistério Sant Quat (I).jpg


Livros-vídeo


eBooks




calendário

Maio 2019

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D