Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

COLUNA VERTICAL


Quarta-feira, 11.08.10

CHAINÇA - PARQUE INFANTIL AO ABANDONO

Autoria e outros dados (tags, etc)

Segunda-feira, 22.03.10

REUNIÃO DA CÂMARA DE 15/3/10 (acta fls.4 e 5)

CASA DE VALE DE RÃS

Requerimento dos vereadores do PSD
 
O vereador Santana-Maia Leonardo apresentou o seguinte requerimento dos vereadores eleitos pelo PSD, relativamente ao esclarecimento da presidente da câmara sobre a casa de Vale de Rãs:
“Na última reunião e a propósito da declaração dos vereadores do PSD sobre a situação absolutamente degradante em que uma munícipe era obrigada a viver numa casa da Câmara Municipal, a senhora presidente disse, designadamente, que «tinha sido contactada pela moradora do arrendamento no sentido de que não permitisse que ninguém pudesse entrar na sua casa, a não ser a presidente da câmara e a vereadora da Acção Social, de quem espera ajuda, pois não pretende ver a sua privacidade e, em particular, a da sua filha devassadas. Não é pelo facto de ser carenciada que tem que expor a sua situação publicamente. De facto, mostrou-se muito perturbada, pelo facto de ser visitada por vereador e membro da Assembleia Municipal, ambos do PSD, visita seguida de contacto de estação de televisão a solicitar a entrada na casa no dia seguinte.»
E acrescentou: «Mas ficou a ideia de que a preocupação de outros membros autárquicos é aproveitar situações de desgraça e infortúnio, para de imediato servirem de bandeira de descontentamento do alegado incumprimento de incompetências. E choca-lhe tornar as pessoas objectos de exibição, publicitação, quando o que está em causa é uma situação individual, mas pessoal, de Pessoas com dignidade, que urge resposta».
Finalmente, informou o executivo de que iria abrir «inquérito à forma como o assunto foi desenvolvido» porque, na sua opinião, «se indicia que, na situação em concreto, não foi salvaguardado pelos serviços, o dever de respeito, de protecção dos cidadãos envolvidos, nem a sua vontade, conforme se indicia expressamente da conversa havida com a presidente da câmara».
Em primeiro lugar e antes de mais, os vereadores do PSD compreendem perfeitamente que uma pessoa na situação desesperada da referida arrendatária procure dar a conhecer a sua situação publicamente, designadamente através da televisão, porque, infelizmente, é esse hoje o meio mais rápido para resolver este tipo de situação.
No entanto, em nenhum momento do contacto com a arrendatária, quer por telefone, quer durante a visita ao arrendado, foi sugerido, aconselhado ou sequer aflorado por qualquer dos vereadores ou pela deputada municipal do PSD o recurso à televisão ou à imprensa para divulgação da situação.
Os vereadores e a deputada municipal limitaram-se a cumprir a sua obrigação: contactados para tomarem conhecimento de uma situação absolutamente degradante em que vivia uma família numa casa do município, deslocaram-se aí onde a arrendatária os esperava, tendo esta os conduzido ao interior da sua habitação e lhes mostrado as condições em que vivia, tendo, aliás, ficado muito sensibilizada e agradecida pela nossa preocupação.
Ora, das duas uma: ou a arrendatária é uma farsante, não tendo tido pejo de recorrer a uma calúnia, para pressionar a senhora presidente a resolver-lhe o problema, ou é a senhora presidente que não está a falar verdade, tendo-se aproveitado do estado de necessidade da arrendatária e da sua dependência para, por um lado, atingir o bom nome e a honra dos vereadores e da deputada municipal do PSD e, por outro, intimidar a arrendatária para que não os volte a contactar e os vereadores para que se inibam de voltar a contactar com munícipes em situação idêntica.
Ora, qualquer das duas situações configura crimes previstos e punidos pelo Código Penal pelo que o inquérito deve ser conduzido pelo Ministério Público e não pelos serviços camarários que, aliás, não tem competência sequer para escrutinar o trabalho dos vereadores e deputados municipais como parece se depreender da parte final do esclarecimento da senhora presidente.
Finalmente, tendo em conta que a senhora presidente atribuiu aos serviços a responsabilidade única e exclusiva pelo protelar da situação, os vereadores do PSD, sem porem em causa a informação da senhora presidente, não podem deixar de consultar o processo e ouvir os funcionários responsáveis, para não correrem o risco de fazerem juízos injustos e precipitados sobre os serviços ou os funcionários.
Pelo exposto, os vereadores eleitos pelo PSD requerem a V. Ex.ª se digne:
         a) mandar passar certidão da acta da reunião de 8 de Março, por forma a instruir a competente participação criminal;
         b) disponibilizar o processo da referida arrendatária para consulta.”  
A Presidente da Câmara encaminhou o pedido para os respectivos serviços procederem em conformidade.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quinta-feira, 11.03.10

REUNIÃO DA CÂMARA DE 8/3/10 (V)

RÉS-DO-CHÃO E ESGOTO DO BLOCO C10 EM VALE DE RÃS

Pedido de esclarecimento dos vereadores do PSD
        
Da nossa visita ao Bloco C10, em Vale de Rãs, pudemos constatar que, no rés-do-chão, deste prédio existe uma fracção devoluta, totalmente vandalizada, permitindo-se ver, através do buraco existente na porta, uma séria de detritos: seringas, excrementos, limões, plásticos, baratas e outros bichos rastejantes.
De acordo com os relatos dos moradores, já foram enviados, em 2006, abaixo-assinados para a Câmara que, até ao momento, nada fez.
Sendo certo que a situação configura um problema de saúde pública e de segurança pública de extrema gravidade que perdura já há vários anos, perante a total indiferença da Câmara Municipal.
E não se venha com a desculpa esfarrapada de que já se notificou o proprietário mas que não o conseguem localizar.
Com efeito, a Câmara, como toda a gente sabe, tem mecanismos legais para providenciar para que o local, no mínimo, seja vedado e limpo, o que ainda não foi feito.
Das conversas tidas com os moradores, os mesmos sentem-se indignados porque, num local onde moram muitas pessoas (crianças incluídas), a referida fracção funciona, designadamente, como refúgio de toxicodependentes e “escritório” para negócios ilícitos, saindo da mesma um cheiro nauseabundo.
Na mesma situação, se encontra o esgoto do mesmo prédio, de onde sai um cheiro insuportável, e a água que corre do mesmo dá origem a um lago onde os proliferam insectos e outros bichos.
Acresce que a Câmara há mais de 2 anos que sabe da situação e, até agora, ainda não encontrou uma solução, apesar dos apelos mais do que justificados dos residentes.
Pelo exposto, pretendem os vereadores do PSD saber quando pensa a Câmara Municipal resolver estes dois assuntos urgentes: o rés-do-chão e o esgoto?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quarta-feira, 10.03.10

REUNIÃO DA CÂMARA DE 8/3/10 (IV)

CASA DA CÂMARA EM VALE DE RÃS

Declaração dos vereadores do PSD

 

Os vereadores do PSD querem manifestar a sua indignação pelo facto de ter sido necessário a sua deslocação a casa da munícipe residente no Bloco C10, em Vale de Rãs, na passada 4ª feira, para que a Câmara Municipal se dispusesse a resolver uma situação absolutamente escandalosa. 
Com efeito, não é admissível que uma munícipe, carenciada e mãe de uma menor com graves problemas de saúde, seja obrigada a permanecer, desde há meses, numa casa propriedade da Câmara Municipal em condições tão degradantes.
Casa esta, aliás, que foi considerada insalubre e inabitável, por técnicos da Câmara que aí se deslocaram para a avaliar.
Sendo certo que a situação não era difícil de resolver pois bastou a senhora vereadora ter conhecimento da nossa visita para, em menos de 48 horas, resolver o problema.
Os vereadores do PSD irão, no entanto, acompanhar este processo, esperando que a situação provisória da munícipe não se arraste indefinidamente, até porque a sua filha menor necessita de cuidados especiais e de tranquilidade que não encontra na casa onde se encontra actualmente.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quarta-feira, 17.02.10

REUNIÃO DA CÂMARA DE 15/2/10 (I)

CORTE DAS ÁRVORES NA RUA DE ANGOLA

Pedido de esclarecimento dos vereadores do PSD
           
Recentemente a Câmara Municipal de Abrantes procedeu ao corte de todas as árvores da Rua de Angola, em Abrantes.
Os vereadores do PSD Elsa Cardoso e António Belém Coelho não estão contra o corte das referidas árvores uma vez que as mesmas causavam, designadamente, danos nos carros que estacionavam junto às mesmas.
No entanto, não deixa de ser um atentado à ecologia das cidades, concretamente da nossa cidade, uma vez que as árvores são um bem essencial.
Sendo certo que mesmo as árvores de crescimento rápido não se tornam adultas de um dia para o outro.
Consequentemente, a plantação de árvores nas cidades deve ser bastante criteriosa, para evitar que as mesmas tenham de ser cortadas precisamente na altura em que chegam ao estado adulto e estão aptas para cumprir a sua função: dar sombra, oxigenar o ar e embelezar as ruas.
Ora, a plantação de árvores na Rua de Angola é a melhor prova da manifesta incompetência de quem as seleccionou e mandou plantar, na medida em que não eram minimamente adequadas para o local, prejudicando duplamente os residentes: primeiro, causando-lhe estragos na pintura dos carros e na carroçaria; e agora deixando-os sem sombras e com a rua despida.
Tudo isto teria sido evitado se quem procedeu à selecção tivesse os conhecimentos técnicos necessários.
Esperamos, pois, que, na reposição das árvores na Rua de Angola, prevaleçam agora os conhecimentos técnicos e de ordenamento de território e não uma escolha leviana e pouco criteriosa, como aconteceu anteriormente.
 
Pelo exposto, e para que a culpa não morra solteira, pretendem os vereadores do PSD saber, antes de mais:
1.            quem foi ou foram os responsáveis pela selecção e plantação daquelas árvores na Rua de Angola e qual a sua formação técnica;
2.            qual foi o custo das árvores, qual foi o custo da sua manutenção durante os últimos quatro anos e qual o custo do corte e da sua remoção.
Finalmente, pretendem saber também quais as árvores escolhidas para a sua reposição, qual o critério da escolha e quem é o responsável.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quarta-feira, 27.01.10

REUNIÃO DA CÂMARA DE 25/1/10 (extracto II)

OBRAS DE URBANIZAÇÃO DE SANTA LUZIA (CHAINÇA)   
Pedido de esclarecimento dos vereadores do PSD
           
Em 18/1/2008, a Câmara notificou o promotor do loteamento da Urbanização de Santa Luzia, na Chainça, para proceder ao arranjo dos espaços exteriores desta Urbanização e à manutenção de passeios e arruamentos, sob pena da Câmara proceder a essa manutenção a expensas do promotor do loteamento.
Como, até à data, tudo continua na mesma, os vereadores do PSD pretendem saber quando irá a Câmara efectuar essa manutenção e proceder aos arranjos dos espaços exteriores desta Urbanização.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sábado, 03.10.09

CAMPANHA NO ROSSIO E SÃO VICENTE

A campanha continua, percorrendo todo o concelho, de norte a sul, sempre privilegiando o contacto pessoal.

A candidatura do PSD, liderada por Santana Maia, acredita que tem o melhor programa. Um programa sério, coerente, dotado de uma visão estratégica, adequado à realidade financeira do país, e, muito especialmente, com capacidade para devolver a "alma" aos abrantinos. 

No Rossio ao Sul do Tejo 

  

Em São Vicente

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quinta-feira, 10.09.09

TORNEIO DE INICIADOS (5 de Setembro)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quarta-feira, 09.09.09

VISITA CHAINÇA, ABRANÇALHA DE CIMA E PAUL

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quarta-feira, 09.09.09

VISITA ABRANÇALHA DE BAIXO (2 de Setembro)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quarta-feira, 02.09.09

C.P.C.D. DE SENTIEIRAS

 

No passado dia 26 de Agosto, Santana Maia, Belém Coelho, Elsa Cardoso, Fátima Ferreira (candidatos do PSD à Câmara de Abrantes), Manuela Ruivo, Anabela Martinho, Susana Martins (candidatas à Assembleia Municipal), acompanhados por Luís Ablú Dias, candidato a presidente da Junta de Freguesia de S. Vicente, e de vários elementos da sua lista, visitaram a localidade de Sentieiras e a sede do Centro Popular Cultural e Desportos de Sentieiras, tendo a visita sido guiada por Rui Batista, tesoureiro, e Filipe Rodrigues, presidente da Assembleia Geral desta colectividade.
 
Centro Popular Cultural e Desportos de Sentieiras é uma colectividade fundada em 13/2/1977 e com grande dinamismo, cuja finalidade é servir a comunidade, promovendo actividades culturais e ludico-desportivas. A sua equipa de futebol disputa o campeonato distrital do INATEL, tendo este ano alcançado a melhor classificação de sempre: 4º lugar entre 66 equipas. Na época de 1998/99, venceu a Taça de Disciplina do INATEL, feito sempre de salientar e que muito honra o clube, os seus atletas e dirigentes.
 
Esta colectividade tem um jornal mensal onde divulga as actividades que leva a cabo: actividades para idosos (dança, teatro, etc.), festas temáticas, dia do sócio, actividades ludico-desportivas (BTT, desportos tradicionais, passeios pedestres, etc). O presidente da direcção é, actualmente, Tiago Pombo.
 
Mais uma vez, é patente a falta de apoio a que estas associações estão votadas pela autarquia. Tudo nestas localidades é arrancado a ferros, fruto da tenacidade e do trabalho de quem aí vive.
 
Esta candidatura não esquece, no entanto, o esforço tremendo de todos os dirigentes que militam, diariamente, nestas instituições, a título voluntarioso, e que nunca desistem, lutando contra todas as adversidades, que são muitas, a começar pelo abandono a que são votados pelo município. Estas pessoas enchem-nos de orgulho e fazem-nos ter esperança num futuro melhor, sendo certo que solidariedade social é uma dádiva fundamental na construção de uma sociedade equilibrada, harmoniosa e justa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sexta-feira, 28.08.09

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE S. VICENTE

 

Luís Ablú Dias tem 37 anos e é natural de S. Vicente, onde reside. Formado em Engenharia e Gestão Industrial, é Responsável de Serviço Produção de Energia numa empresa da região. É actualmente membro da Assembleia de Freguesia de S. Vicente, tendo sido eleito, como independente, nas listas do PSD.
 
Pertenceu, durante vários anos, aos órgãos sociais do Sporting Clube de Abrantes, tendo sido presidente da direcção, clube onde também foi praticante federado de xadrez. Foi ainda campeão distrital de futebol, em iniciados, pelo Sport Abrantes e Benfica.
 
EFECTIVOS:
Luís Nuno Ablú Dias, Engenheiro Produção Industrial, 37 anos
Nuno Miguel Martins Pedro, Empresário, 37 anos
Guiomar Maria Penteado Rodrigues dos Santos, Empresária, 39 anos
Nuno Miguel Pedro Gil, Professor, 34 anos
António Manuel Batista Alves Rosa, Chefe de Vendas, 46 anos
Anabela Honório Matias, Psicóloga Educacional, 43 anos
Sérgio Miguel Frade Robalo, Empresário, 34 anos
João Manuel Gomes, Director de Hotel, 47 anos
Susana Baptista Martins, Técnica Superior, 37 anos
Cláudio Renato Chaves Machado, Estudante, 21 anos
Paulo José Patrício Coimbra, Electricista, 37 anos
Maria de Fátima Rosa Inácio Pedro, Encarregada Geral, 58 anos
Rui Manuel Duarte Batista dos Santos, Oficial de Justiça, 37 anos
 
SUPLENTES:
Vítor José Martins, Empresário, 47 anos
Maria Manuela Pires Pedro Lourenço, 40 anos
José Dias António, Aposentado, 63 anos
Jorge Manuel Ferrão Lopes, Empresário, 46 anos
Maria Luísa de Jesus Silvestre de Oliveira Grácio, Aposentada, 47 anos
Luís Manuela Alves de Sousa Coelho, Chefe de Turno, 41 anos
José Carlos Moreira Dias Felício, Empregado Fabril, 44 anos
Ana Maria Barreiros da Costa Roldão Maia Pita, Professora – Aposentada, 64 anos
Paulo Jorge Lopes Miguel, Chefe de Secção, 40 anos
Luís Filipe Ferreira de Sousa, 49 anos
Ana Maria Rui Filipe Rico, Professora, 48 anos
Ricardo Luís Pires Alves, 33 anos
Rui Fernando Alves Dias, Formador, 31 anos
Sandra Isabel Barreiros Roldão Maia Pita, Enfermeira, 30 anos
Vitorino António Maleitas da Silva, Canalizador, 28 anos
Ana Paula de Paiva Rodrigues Morgado, Professora, 45 anos
José Florindo Carlos, Aposentado, 57 anos
Hugo Miguel Pedro Lopes, Electricista, 27 anos
Marisa Fortes Lourenço, Professora, 29 anos
Flávio Miguel Dias Madeira, Operador de produção térmica, 25 anos
Joaquim António Rodrigues Gonçalves, Operador Fabril, 51 anos
Maria José Rosa Martins, Assistente Operacional, 37 anos
Joaquim Manuel da Silva Alves, Pedreiro, 43 anos
Sérgio Filipe Rosa Gonçalves, Operador fabril, 25 anos
Patrícia Isabel Marques Coelho, Estudante, 21 anos
Fábio Daniel Farinha Aperta, estudante, 21 anos
Nuno Gonçalo Menezes Leitão dos Santos, Estudante, 19 anos
Ana Carina Costa Nogueira, Estudante, 21 anos
Octávio Marques Almeida, Técnico de Manutenção de Aeronaves, 32 anos 
Carlos Alberto Dias de Matos, Empresário, 53 anos
Elsa Maria da Costa Cardoso, Professora, 42 anos
António Manuel Belém e Ferreira Coelho, Professor, 51 anos

Autoria e outros dados (tags, etc)

Terça-feira, 24.03.09

CENTRO SOCIAL INTERPAROQUIAL DE ABRANTES

 

No dia 4 de Março, Santana Maia, candidato do PSD à Câmara de Abrantes, visitou o Centro Interparoquial de Abrantes (creche, ensino pré-escolar, serviço domiciliário e Casa de S. Miguel), para se inteirar do trabalho desenvolvido, auscultar as preocupações e dificuldades por que passa neste momento e anotar as sugestões da sua direcção sobre a forma como a autarquia as poderá ajudar.
 
A visita foi conduzida pelos Ex.mos Senhores Cónego José da Graça e pelos Ex.mos Senhores Bragança (director), Fátima e Ana Silva (responsável pela Casa de S. Miguel). Acompanharam o nosso candidato Dora Caldeira, candidata a presidente da Junta de Freguesia de Alferrarede, Gonçalo Oliveira, presidente da comissão política concelhia do PSD e Emídio Direito, vice-presidente.
 
O Centro Social Interparoquial de Abrantes começou a germinar a 13 de Dezembro de 1947, quando o Rev. Padre Albano Vaz Pinto, Pároco da Freguesia de S. João, constatou haver necessidade de defender as crianças em idade pré-escolar do efeito nefasto da rua e de as compensar da sua sub-alimentação. A 17 de Maio de 1948 foi inaugurada oficialmente esta instituição.

As primeiras instalações foram a sacristia da igreja de S. João, tendo posteriormente passado por diferentes localizações até se fixar, em Setembro de 1998, em sede própria, na Rua Cidade de Parthenay, junto ao Bairro da Encosta da Barata. As actuais instalações foram inauguradas oficialmente a 15 de Setembro de 1999, tendo à frente o Cónego José da Graça como principal orientador. Presentemente, o Centro Social tem 5 valências: Creche, Ensino Pré Escolar, Serviço de Apoio Domiciliário, Projecto Homem, Centro de Acolhimento Temporário de crianças em risco (Casa de S. Miguel).
 
Da análise final, constatou-se o pouco interesse que esta instituição suscita no executivo camarário. A falta de sensibilidade social é, aliás, uma das grandes pechas do actual executivo camarário. Com efeito, é manifesto que as políticas centradas nas pessoas são pouco motivadoras para o actual executivo.
 
Esta candidatura não esquece, no entanto, o esforço tremendo de todos os dirigentes que militam, diariamente, nestas instituições, a título voluntarioso, e que nunca desistem, lutando contra todas as adversidades, que são muitas, a começar pelo abandono a que são votados pelo município. Estas pessoas enchem-nos de orgulho e fazem-nos ter esperança num futuro melhor, sendo certo que solidariedade social é uma dádiva fundamental na construção de uma sociedade equilibrada, harmoniosa e justa. 
 
O testemunho do trabalho desenvolvido nesta instituição fez com que Santana Maia desse a sua palavra de que, caso o PSD vença as próximas eleições autárquicas (como se espera), as instituições de solidariedade social do concelho poderão contar com um presidente e uma vereação empenhados em apoiar o seu esforço de tornar mais feliz a vida dos idosos, das crianças e de todos aqueles para quem a vida foi madrasta.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sexta-feira, 16.01.09

ABLÚ DIAS É O NOSSO CANDIDATO EM S. VICENTE

 

Luís Nuno Ablú Dias foi escolhido, por unanimidade, como candidato social-democrata à Junta de Freguesia de S. Vicente.
 
Luís Nuno Ablú Dias tem 37 anos e é natural de S. Vicente, onde reside. Formado em Engenharia e Gestão Industrial, é actualmente Responsável de Serviço Produção de Energia numa empresa da região.
 
Humanista e pessoa dedicada à vida social e associativa da sua terra e do seu concelho, é actualmente membro da Assembleia de Freguesia de S. Vicente, tendo sido eleito, como independente, nas listas do PSD.
 
Pertenceu, durante vários anos, aos órgãos sociais do Sporting Clube de Abrantes, tendo sido presidente da direcção, clube onde também foi praticante federado de xadrez. Foi ainda campeão distrital de futebol, em iniciados, pelo Sport Abrantes e Benfica.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Perfil

SML 1b.jpg



Visitantes


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Quimeras


Alma, Eléctrico!


Livros

Capa - 3ª Edição.jpg

Capa - Frente.jpg

Capa Bocage.jpg 

Capa.jpg 

Eléctrico - Um Clube com Alma.jpg

Mistério Sant Quat (I).jpg


Livros-vídeo


eBooks




calendário

Maio 2019

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D