Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

  «Atirar dinheiro aos problemas, na situação actual, não os afoga, fá-los crescer e com juros altos. A política trapalhona de apoio à economia tem em si o gene da sua própria destruição.» Luís Campos e Cunha (ex-ministro das Finanças do actual Governo), in Público de 23/1/2009
por António Belém Coelho   Não há dúvida que em termos nacionais tivemos um fim de ano pouco animador. Não bastava a crise financeira e económica que nos afectou seriamente ao contrário de recentes previsões governamentais, tivemos igualmente uma lei, o Estatuto Regional dos Açores, que, pelos vistos, se dá ao luxo de, através de lei ordinária, mudar o disposto constitucionalmente no que respeita aos poderes do Presidente da República.       Muitos (...)
21 Dez, 2008

O LEGADO

por António Belém Coelho   Uma das poucas pessoas que não terá dado pelo facto de estarmos numa crise, classificada por quase todos os especialistas como sendo a mais grave desde a grande depressão, ou mesmo equivalente, e que prolongará ainda durante mais algum tempo (medido em anos), é certamente o nosso Primeiro Ministro.   Que um Primeiro-ministro tenha que ser optimista dentro dos limites e tenha que procurar incutir confiança nos agentes económicos e cidadãos em geral, (...)
Bagão Félix - in Diário de Notícias de 14/12/2008  «Nesta crise, o Governo chega sistematicamente atrasado e toma medidas que semanas antes contestara abertamente, como o pagamento de dívidas do Estado, o prolongamento transitório de prestações de emprego ou alguns investimentos públicos mais disseminados.   O Orçamento de Estado que já de si estava ferido com projecções (...)
Intervenção do deputado do PSD António Belém Coelho na Assembleia Ordinária de 12/12/2008   Vamos hoje aqui discutir e debater o Orçamento e Opções do Plano do Executivo da C.M.A. relativos a 2009. Trata-se do último orçamento deste ciclo eleitoral protagonizado pelo Executivo do Partido Socialista.   Importa esclarecer que este debate deve ser efectuado pelo menos em dois planos: o das ideias e o dos números. E simultâneos!   No que respeita às ideias somos muito claros; (...)
in jornal "Público" (edição de 28/11/2008)    «O Orçamento em discussão para 2009, a ser aplicado tal qual, e mesmo sem agravamento da crise, colocaria o défice próximo dos quatro por cento, sem receitas extraordinárias. Ou seja, a sustentabilidade das finanças públicas nacionais em 2009 voltará a ser um (...)
por Rui André   Muitos políticos opinam sobre eventuais projectos que poderiam ser realizados nesta ou naquela freguesia. O financiamento do Estado é bastante reduzido e deixa aos órgãos eleitos sem qualquer fundo de maneio para realizar algumas obras de melhorias. As freguesias lutam no dia a dia com os seus recursos humanos e materiais insuficientes para fazer face às limpezas e algumas obras de conservação. O dinheiro que o Estado entrega às freguesias é relativo ao montante (...)