Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

Santana-Maia Leonardo - in Nova Aliança    Se hoje Portugal está como está muito o deve à forma como estão organizados os partidos políticos. Com efeito, a organização interna dos partidos políticos portugueses apenas é capaz de produzir dirigentes medíocres para sustentar as suas próprias clientelas.   Sem uma refundação dos partidos que altere (...)
10 Mai, 2011

O LUGAR NO ANZOL

Santana-Maia Leonardo - in Nova Aliança   Fico absolutamente estarrecido quando vejo comentadores e jornalistas, com algum coeficiente de inteligência, interpretarem a inclusão de independentes nas listas de deputados como um sinal de abertura dos partidos à sociedade civil. Nada mais falso.   Como qualquer pessoa constata a olho nu, os aparelhos partidários são, em (...)
  O balanço da minha experiência pessoal como deputado não terá sido essencialmente diferente daquele que fizeram outros cidadãos sem experiência parlamentar anterior e que, apesar da diversidade das respectivas motivações, terminou em frustação e desencanto. (...)   Concluí sobretudo que, para um jornalista como eu, as regras escritas ou implícitas da obediência parlamentar - tal como esta é, em geral, entendida - eram incompatíveis com o meu espaço de liberdade. (...)  
09 Mai, 2011

O PARTIDO-CLUBITE

  É Portugal e o que é tem muita força, os partidos são o que são e as pessoas são o que são. Muito fome e poucos lugares ao sol. E a política começa a ficar como as claques de futebol. Se não estás a 200% connosco, estás com eles; se não calas as nossas asneiras, fazes o jogo do inimigo. Se perdermos, não será por causa das asneiras que fazemos, mas por tua causa que as criticas. Frágil poder esse que cai ao mais pequeno abano.   Nestes dias, os nossos modernaços (...)
Santana-Maia Leonardo - in Nova Aliança   A geração Sócrates tomou, literalmente, conta dos partidos portugueses. Trata-se de uma geração que aprendeu a usar os princípios e os valores apenas como arma de arremesso para agredir os adversários, sem nunca os aplicar às suas condutas, que se regem apenas pelos seus mais mesquinhas interesses particulares. Ou seja, é (...)
Santana-Maia Leonardo - in Nova Aliança    Quem olha objectivamente para o comportamento dos dois maiores partidos portugueses não pode deixar de ficar com a estranha sensação de que se trata do mesmo partido desdobrado em dois (PS e PSD) para garantir a sua governação contínua. Desta forma, cria nos eleitores a ilusão de que existe alternância no poder, (...)
Santana-Maia Leonardo - in Nova Aliança   Para quem acredita na democracia representativa, como eu, não pode deixar de ficar preocupado com o adiantado estado de degradação dos partidos políticos, tendo em conta que são as traves mestra deste sistema político.   Com efeito, a política chegou a um tal nível de desprestígio que os partidos são já olhados pelo (...)
Deputada italiana acusa colegas de se prostituírem (in SOL net de 9/9/10)    «Não excluo a hipótese de haver senadoras ou deputadas eleitas depois de se terem prostituído», foi esta declaração da deputada italiana Angela Napoli que causou o caos entre a elite política italiana. A declaração da deputada do Futuro e Liberdade (FLI), deixou as deputadas do  PDL de Berlusconi indignadas   Angela Napoli, que faz parte da comissão antimáfia do Parlamento italiano, emitiu (...)
Excerto do livro «A CULTURA MUNDO – RESPOSTA A UMA SOCIEDADE DESORIENTADA» de Gilles Lipovetsky e Jean Serroy   Tal como existe uma desregulação económica que deixa o mercado livre para desempenhar o seu papel com muito menos restrições, também desapareceu, em grande medida, aquilo que funcionava tradicionalmente como um travão à individualização. Os valores hedonistas, a oferta cada vez maior de consumo e de comunicação e a contracultura concorreram para a (...)
20 Ago, 2010

O HOMO FREEPORTUS

Helena Matos – in Público de 5/8/10 (extracto)   O Homo Freeportus nasceu da união entre dois aparelhos reprodutores: o do Estado e o dos partidos. Os nascidos desse cruzamento vivem do Estado e naturalmente sentem o Estado como o seu território. Conhecem-lhe os procedimentos, os regulamentos, as excepções aos mesmos e os anexos às disposições gerais. Aliás, grande parte do poder dos freeportus é exercida através da produção contínua de regulamentos, leis e decretos que (...)