Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

07 Jun, 2011

ACORDAR

António Belém Coelho    Portugal adormeceu ontem com os resultados das eleições legislativas; dormiu bem, sem dúvida, face às insónias de que padece desde há seis anos; e acordou hoje com todos os benefícios e consequências desses resultados.   O País deparou-se com duas campanhas completamente antagónicas: a do Partido Socialista em que o Eng. Sócrates, (...)
  Alguém me pode explicar por que razão a corrupção não é um problema a levar à campanha e que parece não interessar nenhum dos grandes partidos? Na verdade, vindos de anos e anos de "casos" de corrupção que envolvem políticos, a começar pelo BCP e a acabar nas sucatas do senhor Godinho, numa altura em que existe a convicção popular generalizada de que existe muita corrupção no sistema político e análises técnicas, académicas e policiais apontam no mesmo sentido, a (...)
21 Mai, 2011

AGORA ESCOLHA

Pedro Marques Lopes - In Diário de Notícias de 15/5/11   O muito aguardado programa do PSD é muito mais que uma simples e habitual enunciação de um conjunto de propostas avulsas desenquadradas ideologicamente e com objectivos eleitorais imediatos. Concorde-se ou não com as suas linhas essenciais, o documento mostra de forma cabal o caminho que os sociais-democratas querem percorrer, e redefine o panorama político-partidário português. (...)   Passos Coelho, na sequência do (...)
10 Mai, 2011

O LUGAR NO ANZOL

Santana-Maia Leonardo - in Nova Aliança   Fico absolutamente estarrecido quando vejo comentadores e jornalistas, com algum coeficiente de inteligência, interpretarem a inclusão de independentes nas listas de deputados como um sinal de abertura dos partidos à sociedade civil. Nada mais falso.   Como qualquer pessoa constata a olho nu, os aparelhos partidários são, em (...)
Santana-Maia Leonardo    Li, recentemente, num blog de Abrantes um pequeno texto atribuído ao vereador Carlos Arês onde este afirmava designadamente o seguinte: «O PSD expulsou-me por iniciativa do Dr. Santana Maia.» Salvo o devido respeito, não acho verosímil que o vereador Carlos Arês pudesse ter afirmado um disparate destes.   O vereador Carlos Arês, para além (...)
Santana-Maia Leonardo - in Nova Aliança    Quem olha objectivamente para o comportamento dos dois maiores partidos portugueses não pode deixar de ficar com a estranha sensação de que se trata do mesmo partido desdobrado em dois (PS e PSD) para garantir a sua governação contínua. Desta forma, cria nos eleitores a ilusão de que existe alternância no poder, (...)
Extracto do livro “UMA TRAGÉDIA PORTUGUESA” de António Nogueira Leite* Economista, secretário de Estado do Tesouro e Finanças (1999-2000) e vice-presidente do PSD      Admito que haja muita gente social-democrata no PSD, um subconjunto muito relevante, quiçá maioritário, dos que pensam que são, mas tal é um obstáculo à clarificação ideológica e programática.  (...)
15 Dez, 2010

Em defesa da honra

«Nunca irrites um homem paciente» (Confúcio)   EXPOSIÇÃO AOS PRESIDENTES DA COMISSÃO POLÍTICA NACIONAL, DISTRITAL E CONCELHIA DO PSD   Eu, Santana-Maia Leonardo, militante do PSD da secção de Abrantes com nº8513 e vereador da câmara municipal de Abrantes eleito pelo PSD, venho, em defesa da honra dos candidatos autárquicos do PSD no concelho de Abrantes, dizer o seguinte: I O PRINCÍPIO   Quando em Julho de 2008, recebo um telefonema de um indivíduo que se (...)
Santana-Maia Leonardo - in Nova Aliança   José Sócrates fez, em Barcelos, uma declaração pública absolutamente assassina para a credibilidade da nossa Constituição.   E o que disse José Sócrates?   Que, em relação à saúde, existem duas visões completamente diferentes: a do PS, que defende a melhoria do SNS, e a do PSD, que representa um recuo. E é precisamente por que recusa a (...)
31 Jul, 2010

A CONSTITUIÇÃO

António Belém Coelho    Se os pais da Constituição cuidassem um momento só que fosse de respeitar a vontade popular nos sucessivos momentos eleitorais, nunca, mas nunca teriam redigido uma Constituição como aquela que temos de momento, embora já lá vão oito revisões que dela expurgaram o que havia de extrema-esquerda.   No entanto, todo o resto de mantém; é caso para dizer que, como (...)