Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

COLUNA VERTICAL

"Barcelona respira liberdade e harmonia por todos os poros."

Vaco Pulido Valente - Público de 6-3-2015

Sergei Mironovich Kirov, de quem hoje ninguém se lembra, era secretário da Comissão Central do PCUS (Partido Comunista da União Soviética) e também primeiro-secretário da organização de Leninegrado. Em 1 de Dezembro de 1934, foi assassinado por um militante desconhecido, Nikolaiev, protegido por Yagoda, nessa altura chefe da NKVD, predecessora da KGB.

Este crime, aparentemente inexplicável, inaugurou o “Grande Terror” de 1935-1938, em que morreram, pelo menos, 10 milhões de pessoas. Hoje está provado que Estaline o mandou matar. Porquê? Porque Estaline queria reduzir o Estado, o Partido, o exército e o povo a uma condição de obediência absoluta, eliminando qualquer possível centro de resistência ao seu poder e à sua vontade. Popular em Leninegrado e nos meios do PCUS, e ainda por cima um óptimo orador, Kirov não podia ser deixado à solta.(...)

Boris Nemtsov acabou com quatro tiros nas costas, porque tinha sido vice primeiro-ministro e chefe de partido; porque era conhecido e um activista; e porque naturalmente se opunha à louca e maléfica aventura de Putin. E é curioso que o próprio Putin, como Estaline, declare agora que o assassinato de Nemtsov foi um crime político, porque isso lhe permite daqui em diante descobrir conspiração atrás de conspiração e liquidar mansamente quem se atrever a contrariar os seus desígnios, à capa de um pretexto embaraçoso para o Ocidente. Alexandre Navalny, apesar de preso, declarou que Putin dera a ordem para matar Nemtsov. A lógica das coisas sugere que sim. E, por mim, acredito que a continuação da história provará que sim. Nemtsov é o Kirov do nosso tempo.